Costa do Descobrimento

e09c6-img_0854.jpg
Praia do Espelho: as falésias brancas e o mar calmo compõem cenário encantador

Há alguns anos, a revista Viagem e Turismo publicou um ranking com “as dez praias mais bonitas do Brasil”, no qual constava a Praia do Espelho, no município de Porto Seguro, na Bahia. Fiquei intrigada, pois já tinha visitado a região conhecendo as belas praias de Santo André, Trancoso e Arraial D’Ajuda, sem ter ouvido falar na tal do Espelho. Logo, descobri que essa praia fica ao sul de Trancoso, tem acesso apenas por estrada de terra e foi “descoberta” pelo turismo mais recentemente, tornando-se objeto de desejo de dez entre dez visitantes do Sul da Bahia.

 
A beleza da praia do Espelho faz dela um destino cobiçado

Destino cobiçado e de acesso difícil ganha ares de exclusividade e os preços das poucas pousadas e restaurantes que se instalam no local ficam inflados. Resultado: prepare o bolso se quiser pisar nas areias semidesérticas da praia do Espelho ou de Caraíva, vilarejo que fica um pouco mais ao Sul, quase na divisa do município de Porto Seguro com o de Prado.

Vale a pena? Sim, sim e sim, nem que seja numa viagem curta como a que eu meu marido fizemos. Chegamos em Porto Seguro na quinta, às 22h e partimos, na segunda, às 7h30, tendo três dias inteirinhos para aproveitar. As praias são lindas, os vilarejos mais urbanos super charmosos e os menores exalam aquele ar bucólico e despretensioso que faz você se desplugar de tudo. Neste post, vou contar nosso roteiro de três dias e dar as dicas de como não gastar tanto neste paraíso.

Nosso Roteiro

Partimos de Salvador em voo da Azul, numa quinta-feira, às 20h55. Cerca de 50 minutos depois pousamos no aeroporto de Porto Seguro. As passagens de ida e volta, pela Azul, que tinha os melhores horários para a nossa viagem, ficaram por R$ 368,80 por pessoa. Pegamos um taxi para o hotel reservado no centro da cidade (R$ 15,90 a corrida), onde pernoitamos.

Praias em Arraial D’Ajuda e centrinho de Trancoso

Na manhã seguinte, pegamos o carro alugado na Lozaliza (melhor preço cotado na internet, R$ 398,00 para 03 diárias com taxas, seguro e GPS) e tomamos a balsa que liga Porto Seguro a Arraial D’Ajuda (R$ 17,60 por carro com motorista e R$ 4,70 por cada um dos demais passageiros). A travessia do Rio Buranhém dura cerca de dez minutos.

 
Praia de Mucugê; a mais central de Arraial D”Ajuda conta com boa infra-estrutura

Em Arraial, partimos direto para as praias, começando pela mais próxima do centro, a praia de Mucugê, com muitas barracas com música e mar de águas tranquilas, excelente para um mergulho. Caminhamos até a praia do Parracho, que segue o mesmo estilo da primeira.

 
Praia de Pitinga tem visual marcado pelas falésias avermelhadas

De carro, fomos conhecer a praia de Pitinga, também servida por barracas de praia, porém em menor quantidade, e mais tranquila do que as duas primeiras. O visual é um pouco diferente, pois nessa praia já aparecem as falésias que marcam muito a paisagem do litoral Sul da Bahia.

 
Taípe tem acesso pela estrada de terra que liga Arraial à Trancoso

De Pitinga, fomos para Taípe, cujo acesso fica na estrada de terra que liga Arraial D’Ajuda à Trancoso. Aqui o mar é mais revolto e parte do areal é coberto com a vegetação rasteira típica do litoral, tendo em seu entorno altas falésias. Ao contrário das demais, tinha poucos banhistas e barracas. Portanto, se você curte um bom sossego, Taípe é sua praia em Arraial D’Ajuda.

O acesso entre Arraial D’Ajuda e Trancoso pode ser feito por estrada asfaltada (BA-001, 38 km em pista simples). Mas preferimos seguir pela estrada velha de terra, cuja saída fica no km 7 da via de asfalto, para conhecermos a praia de Taípe.

 
A pequena igreja de São João Batista é marca registrada do “Quadrado” em Trancoso

Continuamos na estradinha por 15 km, até Trancoso, onde paramos para rever o famoso “Quadrado”, com a pequena igreja de São João Batista, linda em sua brancura e simplicidade, e o extenso gramado ladeado por casinhas coloridas onde funcionam restaurantes, pousadas, bares e lojas.

 
Casinhas coloridas abrigam pousadas, bares e restaurantes no “Quadrado” de Trancoso

Essa praça de Trancoso é encantadora. Fica no alto de uma colina, tendo vista para a praia dos Nativos, na área que fica logo atrás da igrejinha. O Quadrado só esquenta mesmo lá por volta das 17h, quando os visitantes voltam das praias e enchem seus restaurantes e bares. Antes disso, é uma calmaria sem fim, pois vários estabelecimentos estão fechados. Foi nesse clima tranquilo que ficamos perambulando pela praça, admirando a vista do mar e sentamos no restaurante Rabanete, para um almoço saboroso com peixes frescos, saladas, quiche de cebola, entre outras iguarias do bufê. O restaurante cobra por quilo e o almoço para duas pessoas ficou por R$ 67,00, sem as bebidas.

Praia do Espelho

Por volta das 16h, partimos pela estrada que vai para Itaporanga, para dali pegarmos o trecho de terra (cerca de 19 km), com bastante trepidações, para a praia do Espelho.

 
Vista da varanda de nosso quarto, na pousada Recanto do Espelho

Ficamos na Pousada Recanto do Espelho (R$ 616,00 duas diárias para casal com café da manhã, incluindo as taxas). Essa foi a opção “pé na areia” com melhor custo que encontramos na praia do Espelho.

O ambiente é simples, mas limpo e confortável. Quartos com varanda e rede, de frente para o mar. Café da manha variado e de qualidade. A pousada fica ao lado de outras mais caras, que têm como diferencial apenas o fato de terem instalações mais novas e decoração mais rebuscada. Claro que isso, confere maior charme e aconchego, mas achamos que não valia a pena pagar o dobro ou mais do preço para nos hospedarmos nas vizinhas repaginadas.

Como o restaurante da Recanto não funciona para o jantar, fizemos as refeições à noite na pousada vizinha do mesmo proprietário, a Enseada do Espelho, mais chique e bem mais cara . No final, ficamos satisfeitos com a nossa escolha.

 
Em Curuípe, espreguiçadeiras esperam os banhistas

Na tarde de chegada, percorremos  apenas a praia que fica logo em frente à pousada. Infelizmente, não estávamos no período de lua cheia – dizem que o reflexo da lua nas águas do mar é lindíssimo -, mas deu para jantar à luz de velas no restaurante Enseada do Espelho, que tem área externa à beira mar.

 
À esquerda de Curuípe, depois do rio, fica a praia do Espelho

Na manhã seguinte fomos explorar as três praias que ficam na área, todas cercadas por um extenso coqueiral. Do lado esquerdo, após um riozinho, fica a praia do Espelho propriamente dita, deserta, sem barracas, cercada por uma imponente falésia branca parcialmente coberta pelo verde da vegetação.

 
Amendoeiras fazem a sombra nas barracas da praia de Curuípe

 No centro, após o rio, está a praia de Curuípe, que é uma continuação da praia do Espelho. Nesse trecho ficam as pousadas e barracas de praia e é onde as agências deixam os passageiros que fazem os passeios de ida e volta no mesmo dia. A praia é cercada de frondosas amendoeiras que fazem a sombra para os banhistas nas barracas. Curuípe é a parte mais movimentada.

 
Praia dos Amores: pequena e de mar cristalino, só é acessada a pé, na maré baixa

Seguindo a direita, chega-se a uma formação rochosa de tom embranquecido que marca a divisão entre Curuípe e a praia dos Amores. Pequena e guardada por altas falésias brancas, a praia dos Amores é belíssima e só é acessada a pé na maré baixa. Dentre as três praias, a dos Amores foi a minha predileta.  Dizem que o nome foi atribuído pelo fato de alguns casais ficarem presos no lugar durante a maré alta e terem sido encontrados em “Amores”.

 
As três praias são lindas, mas a dos Amores ganhou a minha preferência

Logo atrás da pousada em que nos hospedamos, fica o caminho para um mirante de onde se tem uma linda vista das praias de Curuípe e do Espelho. Subimos para admirar e clicar o visual. O caminho é um pouco íngreme, mas não exige maiores esforços.

 
Praia de Curuípe vista do mirante

Nos dois dias em que ficamos hospedados na praia do Espelho, pegamos maré baixa por volta das 11h, o que nos garantiu banhos nas piscininhas formadas pelos corais e mar calmo para sucessivos mergulhos. Uma delícia! Como ficamos num sábado e domingo, percebemos que entre 10h e 16h, as praias – principalmente Curuípe – recebe um número maior de pessoas que vêm em passeios bate-volta. Fora desses horários, ficam quase desertas, frequentadas apenas pelos hóspedes que estão nas pousadas.

Almoçamos no restaurante da nossa pousada, na beira da praia, sentados em mesas à sombra de frondosas amendoeiras. Nossa escolha: moqueca de camarão, acompanhada de arroz e pirão (R$ 175,00 o prato para duas pessoas).

Caraíva

No embalo da viagem, decidimos conhecer Caraíva, que fica a cerca de 20 km da Praia do Espelho, porém se gasta uns quarenta minutos no percurso por uma estradinha de terra. No charmoso vilarejo não se chega de carro. Deixamos o nosso no estacionamento em frente ao pequeno píer de onde partem as canoas que levam até Caraíva (R$ 15,00 estacionamento e R$ 5,00 a travessia por pessoa).

 
No vilarejo não se chega de carro, só de canoas que atravessam o rio Caraíva

Aportamos na vila e nos encantamos. Até bem pouco tempo não havia luz elétrica e a instalação foi feita com cabeamento subterrâneo. Assim, o vilarejo preservou suas características, sem postes, tendo de um lado o rio que tem o mesmo nome da Vila e do outro o mar.

Tudo é muito simples, casinhas de moradores, bares, restaurantes e pousadas. Há cavalos e charretes circulando pelas ruazinhas de areia fofa. A sensação é de se estar num lugar onde o tempo parou. E o que é melhor: moradores e visitantes fazem questão que tudo continue assim.

 
Pescadores no por-do-sol na beira do rio Caraíva

Como passamos pouco tempo, só vimos a praia de Caraíva que contorna a vila. As demais só são alcançadas por barcos. Depois de circularmos por toda a vila – um passeio com paradas que não dura mais que 30 minutos – sentamos no Boteco do Pará, para apreciar o por-do sol, na beira do rio, e retornamos para Praia do Espelho.

Praia do Rio da Barra (Trancoso)

No último dia, demos uma circulada cedo pelas praias próximas à pousada Recanto do Espelho e partimos para Trancoso. Paramos no Hotel Rio da Barra para conhecer a praia do mesmo nome, que pode ser acessada a pé (cerca de 40 minutos a partir da praia dos Nativos, que fica no Centro de Trancoso) ou de carro, estacionando-se no Hotel Rio da Barra (R$30,00/estacionamento).

 
Praia do Rio da Barra, em Trancoso: encontro do rio com o  mar

Se quiser ficar na área do hotel, que tem ótima infra estrutura com restaurante, espreguiçadeiras e gazebos à beira-mar, paga-se consumação mínima de R$ 80,00 por pessoa. O ambiente é aconchegante e bem exclusivo. A praia é bonita, tendo falésias avermelhadas do lado esquerdo, e, no direito, a foz do rio.

Centro de Arraial D’Ajuda

 
A igrejinha de Nossa Senhora D’Ajuda, no centro do Arraial

Do Rio da Barra, fomos à Arraial D’Ájuda, nossa ideia era dar uma volta na Rua do Mucugê, a mais agitada da Vila, almoçar e comprar umas lembrancinhas. Mas como ainda era cedo, a maioria das lojas estava fechada, pois a Rua do Mucugê, como o Quadrado de Trancoso só fica bem movimentada lá pelas 16/17 horas. Decidimos, então, visitar a pequena igreja de Nossa Senhora. D’Ajuda, que fica numa área com vista para o mar, em cujo gradil, os visitantes costumam amarrar fitinhas coloridas do Senhor do Bonfim.

 
Visitantes amarram fitas do Senhor do Bonfim, na área atrás da Igreja

Algumas lojinhas de artesanato e souvenires que ficam na praça da Igreja estavam abertas e lá compramos lembrancinhas com preços melhores do que os vistos em Porto Seguro.

Porto Seguro

Pegamos a balsa de volta à Porto Seguro (mesmo valor pago na travessia de ida) e almoçamos no Esquina do Mundo.

Escolhemos um prato criado pelo chef da casa, Lagosta à Carmem Miranda (R$ 219,00), com molho à base de vinho, muito bom e servido em quantidade suficiente para três pessoas.

 
Lagosta à Carmem Miranda: criação do chef no restaurante Esquina do Mundo

Após o almoço, fomos visitar o Museu do Descobrimento, que fica a céu aberto, composto das construções que formaram uma das vilas mais antigas do Brasil. Lá estão o marco Padrão de Posse (1503), as ruínas do primeiro colégio jesuíta e as igrejas de São Benedito (1521), Nossa Senhora da Pena (1535) e da Misericórdia (1526). Na Casa da Câmara e Cadeia funciona o Museu de Porto Seguro, que estava fechado quando chegamos ao local. Em compensação, pudemos ver o por do sol do alto do morro, onde a vila foi instalada, com vista privilegiada para o mar.

 

Igreja de Nossa Senhora da Pena e Casa da Câmara e Cadeia no Centro histórico

 
Igreja de São Benedito na vila que é uma das mais antigas do Brasil

À noite demos uma caminhada rápida pela passarela do descobrimento, onde ficam barracas vendendo  comidas, bebidas, artesanato e bijuterias. Pernoitamos num hotel no centro, que fica próximo ao aeroporto. Devolvemos o carro na segunda pela manhã e pegamos o voo da Azul, às 7h30, chegando a Salvador às 8h20. Enfim, em três dias, mergulhamos no Espelho e ainda fizemos passeios rápidos, mas bem legais em Arraial, Trancoso, Caraíva e no Centro Histórico de Porto Seguro.

Dicas para não gastar tanto

Vá na baixa estação

Porto Seguro e arredores são super badalados no verão, mas o sol aquece a região por quase todo o ano e na baixa estação os preços são mais acessíveis. Fomos em março, a manhã do primeiro dia estava nublado, depois disso pegamos sol por três dias.

Dispense a estadia em Porto Seguro

Se já conhece Porto Seguro ou está decidido a descobrir o melhor da região, dispense a hospedagem na cidade e parta para um dos vilarejos próximos. Reserve um tempinho no dia de chegada ou saída para visitar o Museu do Descobrimento e dar uma volta pela orla de Porto Seguro.

Pesquise uma pousada econômica num vilarejo

Uma boa pedida é se hospedar em Arraial D’Ajuda ou Trancoso, que tem praias lindíssimas e várias pousadas bacanas com preços razoáveis.

 
Vilarejo de Trancoso

Faça bate-volta para os locais mais exclusivos

Se possível, alugue um carro em Porto Seguro, pois será muito útil para se deslocar entre os vilarejos e fazer um bate e volta até a Praia do Espelho. Tendo disposição, estique um pouco mais para uma visita rápida à Caraíva. Se não der para alugar carro, é possível transitar entre um vilarejo e outro nos ônibus e vãs que ligam Arraial e Trancoso e fazer o bate-volta até praia do Espelho com agências locais que oferecem o passeio.

 
Estrada de terra que dá acesso à Caraíva

Explore os restaurantes tipo bufê

Arraial e Trancoso tem ótima gastronomia, mas é possível comer  bem sem pagar tanto em restaurantes estilo bufê, como o Rabanete, que fica no quadrado, em Trancoso, e serve comida a quilo saborosa e de boa qualidade.

 
Mordomia e preços altos nos bares e restaurantes da praia do Espelho

Na praia do Espelho, não dá para fugir dos preços altos. Se quiser fazer um bate-volta econômico, leve um lanchinho e compre água e cerveja no único vendedor ambulante que circula pela praia, com preços mais em conta do que os cobrados pelos restaurantes e barracas. Estes últimos, inclusive, estabelecem uma consumação mínima (em média R$ 50,00 por pessoa) para uso da estrutura – mesas, cadeiras, gazebos, espreguiçadeiras, chuveiro de água doce.

– Fotos de Suzy Freitas

– Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados.

– Os preços citados se referem ao mês de março/2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Vamos viajar pra onde agora?

Roteiros, dicas e relatos de viagens

TripBruta

O mundo através dos meus olhos

http://ondevimparar.com.br/

Roteiros, dicas e relatos de viagens

Roteiro na Mão

Roteiros, dicas e relatos de viagens

Viajandinhas

Dicas de viagens de irmãs viajandinhas

The Get Away

Roteiros, dicas e relatos de viagens

%d blogueiros gostam disto: