Barcelona é pura inspiração

e9c18-artime2b1332.jpg
Formas sinuosas e coloridas no Park Guell

Alain de Botton, autor de “A arte de viajar”, diz que ao escolher um destino, devemos ler livros e ver filmes sobre o lugar em vez de nos atermos aos guias turísticos. Comigo aconteceu o contrário. Um filme me inspirou uma viagem. Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen, foi a fonte de inspiração para minha ida à capital catalã. No Park Guell ou no Bairro Gótico, me sentia em meio ao quarteto amoroso do filme, tão caliente quanto o verão que passei na cidade.

Barcelona fica especialmente alegre e divertida no verão, repleta de turistas, muitos jovens, de diversas partes do mundo. Num calorão de mais de 30º C, eu, meu marido e minha filha adolescente, desvendamos um pouco dessa cidade que encanta pela criatividade de seu povo, na arquitetura, na pintura, na língua, na moda e na gastronomia.

Las Ramblas

 
Mercado de La Boqueria: parada obrigatória na Las Ramblas

Logo que chegamos, deixamos as malas no Hotel Vueling e fomos almoçar no Segons Mercat, que fica bem próximo. Já tínhamos ouvido falar bem dele como bar de tapas, mas para o almoço foi um pouco decepcionante. Serviço lento e comida apenas razoável para o preço que cobra.

Depois, fomos andando até a Praça Catalunha, que tem uma localização estratégica, espécie de ponto convergente da cidade. Dali é possível seguir para a Avenida Las Ramblas, o Pesseig de Grácia ou Bairro Gótico, dentre outros. Também pode-se comprar ingressos para espetáculos e passeios em estandes de companhias turísticas que ficam no local, inclusive para os ônibus panorâmicos que operam na cidade. Além disso, da Praça Catalunha se tem acesso a diversas ruas interessantes para compras mais acessíveis que as grifes famosas que ficam no Passeig de Grácia. Há lojas do El Corte Ingles na Praça e em suas imediações.

Terminamos o dia, como todo bom turista, na Avenida Las Ramblas, percorrida no sentido da Praça Catalunha até o mirador El Colon, seguindo um roteiro a pé indicado pelo site Passaporte Barcelona.

 
Monumento  em homenagem à Cristóvão Colombo
 
Uma das entradas para Las Ramblas

Las Ramblas está sempre lotada de turistas, camelôs, artistas de rua, “estátuas humanas” e transeuntes diversos. Também há muitos bares e restaurantes, mas não paramos neles, pois outros visitantes nos alertaram que a comida é cara e não muito boa. Aproveitamos o passeio para tirar fotos no monumento em homenagem a Cristóvão Colombo, que fica na extremidade Sul da Avenida, tendo no alto de uma coluna gigantesca a escultura do navegador apontando para o mar.

Depois desse primeiro passeio, voltamos à Las Ramblas para visitarmos o mercado de La Boqueria. Não é muito grande e fica sempre lotado, mas é visita obrigatória para quem passa pelas Ramblas. O local mistura as cores e sabores de Barcelona, com suas barracas de frutas, carnes, doces, sorvetes e as mais variadas guloseimas. Uma delícia!

Também fomos à Granja Viader, que fica numa transversal da Avenida, espécie de casa que mistura doceria com venda de produtos de laticínios e embutidos, uma das mais antigas de Barcelona. O local fica aberto por tempo muito reduzido e quando chegamos, por volta das 17h30, já estava fechando. Mesmo assim, provamos um creme burlé e outro doce achocolatado. São tradicionais, mas diria que o sabor é apenas razoável.

Arquitetura modernista

 
Escadaria que dá acesso ao salão das colunas no Pak Guell

No dia seguinte, nosso roteiro se iniciou com uma visita ao Park Guell, considerado patrimônio da humanidade pela Unesco. Comprei os ingressos antecipadamente pela internet, mas a fila no local era pequena.  A única vantagem da compra antecipada é que o Parque tem número limitado de visitantes e já se garante entrar no horário marcado no ingresso.

O Parque foi planejado pelo arquiteto catalão Antonio Gaudi para ser um condomínio residencial de luxo, mas o projeto não foi adiante e o que se tem são algumas construções que fariam parte do complexo, todas muito interessantes pelas formas sinuosas e incrivelmente diferentes usadas por Gaudi. Há um salão enorme com colunas altas e completamente vazio com lindos mosaicos de cerâmica no teto.

Os desenhos com mosaicos de cerâmica estão por toda a parte neste complexo de cor e arte deixado pelo maior nome da arquitetura da Catalunha. Subindo as escadas que ficam logo na entrada do Parque, me lembrei das cenas rodadas ali, com os personagens de Juan Antonio (Javier Bardem) e Vicky (Rebecca Hall), no filme de Allen.

 
Teto do salão de colunas e jardins do Pak Guell

Saímos do Park e pegamos um táxi – que tem custo bem razoável na cidade – até o vizinho  Bairro de Gracia, antigo e residencial, onde se pode encontrar lojas descoladas e restaurantes. É uma boa experiência caminhar por suas ruas e sentir-se um pouco integrante da cidade, num local não exclusivamente turístico.

Para o almoço, escolhemos o restaurante Goliard, seguindo a dica da jornalista Adriana Setti, brasileira que mora em Barcelona. O restaurante serve menu completo com entrada, prato principal e sobremesa por cerca de onze euros. Uma pechincha! Por isso mesmo fica lotado. Chegamos cedinho e ainda não estava aberto, demos uma volta pelo bairro de Gracia e retornamos por volta das 12 horas. Encontramos lugar, mas muitos clientes que chegaram depois, voltaram, porque a casa é pequena e não comporta a demanda. A comida é muito boa para o preço cobrado. Se estiver nas imediações, vale muito a pena.

Depois do almoço, fomos conhecer o Passeig de Grácia. Atenção: o bairro de Gracia é residencial e pouco turístico enquanto o Passeig de Grácia é uma avenida predominantemente comercial  que concentra muitos edifícios em estilo modernista e vive cheia de turistas.

 
La Pedrera: exemplar do modernismo de Gaudi

 

 
Casa Batlló: outra criação de Antonio Gaudi
 
Prédio no Passeig de Grácia: quadrado de ouro da arquitetura modernista catalã

 

 As lojas de grife se concentram neste lindo boulevard, mas o que impressiona realmente é a arquitetura de seus edifícios, tanto que o local é chamado de Quadrat d’Or (quadrado de ouro). Exemplares do modernismo catalão se encontram no local, como a Casa Mila (La Pedrera) de Gaudi. Há um trecho denominado de ilha da discórdia, onde estão algumas das mais famosas casas modernistas, entre elas a Batlló, também de Gaudi, e a Lleó Morera, do arquiteto Domènich Montaner. O título de “ilha da discórdia” deve-se à ausência de unanimidade na eleição da casa mais bonita. Mesmo se você não tiver interesse em visitar o interior dos edifícios (a entrada é paga e pode haver filas), vale parar para admirar sua arquitetura externa, como fizemos.

Porto e Orla

Dizem que Barceloneta não é a melhor praia da cidade, mas é bem central e como queríamos só dar uma olhadinha na orla, foi a nossa escolha para o banho de mar. Tive a impressão que é frequentada por famílias locais de classe média a média/baixa. Aluga-se cadeira, guarda-sol, etc., mas abrimos nossas toalhas na areia mesmo e mergulhamos no mar, cuja água tem temperatura agradável.

 
Vale a pena um passeio pela orla e Porto de Barcelona

A praia não é grande coisa para quem mora no litoral do Nordeste brasileiro, como eu, mas, enfim, vale a pena mergulhar no histórico mar mediterrâneo. Deste ponto da orla, pode-se visualizar a enorme escultura metálica em forma de peixe do arquiteto americano Frank Gehry, além de algumas construções recentes de Barcelona como o luxuoso Hotel Arts e o W, esse último tem uma forma que lembra a vela de um barco.

Aproveitamos o restante do dia para visitar a área que é conhecida como Las Ramblas do Mar, indo até ao porto, que é muito organizado e possui um belo visual, com uma imensidão de navios atracados. Vimos a ponte móvel que fica nessa região abrir e fechar para a passagem de navios de grande porte.

Para finalizar, vistamos o Maremagnum, pequeno shopping que fica próximo ao Porto e é construído sobre o mar. O número de lojas não é grande, mas há cafés e restaurantes. Encontramos uma excelente loja para compra de cosméticos, que fica no andar térreo do shopping. Os preços valem a pena, mesmo com a desvalorização do real.

O coração de Barcelona

Fiz o passeio ao bairro gótico sozinha, enquanto meu marido e filha visitavam o Camp Nou, o estádio do FC Barcelona. Utilizei um roteiro a pé que retirei no site Passaporte Barcelona e aproveitei cada cantinho do lugar. O bairro é maravilhoso, o lugar onde nasceu Barcelona. Há igrejas, praças, museus e muitas construções históricas. Ali também ficam os belos prédios da Prefeitura de Barcelona e o Palácio do Governo da Catalunha, ambos na Praça Sant Jaume.

 
Volta ao passado nas pequenas ruas do Bairro Gótico

Andando pelas ruelas do bairro, recordei-me das cenas em que Scarlett Johansson, na pele de Cristina, é fotografada por Penélope Cruz, a Maria Elena do filme de Woddy Allen. Para completar, um músico de rua executava uma linda canção, que ecoava pelo lugar. Ah, Barcelona é tão inspiradora quanto o cinema!

A concentração de atrações por m2 no bairro gótico é tão grande que se não tiver muito tempo, é melhor escolher previamente os lugares que deseja entrar e se deter numa visita mais demorada.

 
Centro político:  Prefeitura de Barcelona fica no Bairro Gótico

Eu escolhi a belíssima Catedral de Barcelona, que tem sua fachada em estilo gótico. Para visitar todo o interior, incluindo as torres, é preciso pagar um ingresso de cerca de sete euros e estar vestido com roupas apropriadas para local religioso, ou seja, não vá com roupa de praia. Há ambulantes do lado de fora, vendendo cangas que podem servir como complemento de vestimenta para as desavisadas. Das torres (acesso com elevador) pode-se contemplar todo o bairro gótico com a orla de Barcelona em segundo plano.

 

A catedral de Barcelona  e a Praça Real

Saí fascinada do bairro gótico e ao procurar a entrada para Las Ramblas tive a agradável surpresa de passar pela Praça Real, oásis delicioso para descansar numa bancada ou apreciar a gastronomia dos muitos restaurantes locais. Como toda a Barcelona antiga, a arquitetara do lugar também é encantadora.

À noite fomos assistir uma apresentação dos Maestros de La guitarra no Palau de La Música Catalana. O espetáculo do quarteto de cordas é inovador, pois mistura a apresentação de composições clássicas com pequenos esquetes de humor, que deixam o show leve e atraente para o público não habituado com música clássica. É uma boa opção para formar novos ouvintes dos clássicos. Os músicos são virtuosos e suas apresentações impecáveis.

 
Mezanino do Palau de La Música

Além disso, o Palau, declarado patrimônio mundial da humanidade pela UNESCO, é uma construção lindíssima e muito bem conservada. Só a visita ao prédio já é um programaço (confira aqui o post da visita guiada ao Palau feita por Dani Goes, autora do blog Bau de Família). É bem próximo ao centro, fomos a pé, partindo da Praça Catalunha, onde compramos o ingresso para o espetáculo, num dos estandes turísticos que ficam na Praça.

 Montjuic: parque, castelo e fontes mágicas

Decidimos visitar o Parque Montjuic, o maior de Barcelona, e adoramos. A colina de Montjuic  tem 213 m de altura e é a maior área de lazer da cidade, concentrando museus, galerias de artes e casas noturnas. Subimos a colina pegando um funicular e depois um bondinho. A forma mais econômica de acesso ao parque é o ônibus, mas o passeio de bondinho tem muito mais charme, além de proporcionar uma vista fantástica de Barcelona. Uma dica: pegue o bonde só na ida e desça andando, pois há mirantes no caminho a pé de volta.

 
Castelo de Montjuic

 

No alto da colina, há um castelo construído no século XVIII e lá funciona um museu militar, que estava fechado no dia de nossa visita, por isso vimos apenas as instalações do castelo com seu belo jardim. De lá é possível se ter vistas panorâmicas da cidade que deixam qualquer um de queixo caído. A entrada no Castelo é paga (cerca de cinco euros), mas aos domingos, após às 15h o acesso é gratuito.

 
Palau Nacional abriga o Museu de Arte Nacional

Deixamos o Parque e fomos andando até o Palau Nacional, uma lindíssima construção, que abriga o Museu de Arte Nacional. Em frente ao prédio há um conjunto de fontes de água onde é realizado um espetáculo gratuito com luzes, cores e sons.

 
Ao por do sol, começa o espetáculo das Fontes Mágicas

O show das Fontes Mágicas se inicia próximo ao por do sol, o que, no verão, só ocorre por volta das 20h. Muitos turistas e jovens se reúnem no local para assistir esse espetáculo, em clima de alegria e paz. É bom chegar antes do início do show para garantir um local com boa visão. Verifique sempre o calendário, pois o espetáculo não acontece todos os dias e os horários variam de acordo com a estação do ano.

 
Plaza de Espanha fica em frente ao Palau Nacional

A grandiosa praça onde ficam as fontes é chamada Plaza de Espanha. No lado oposto ao Palácio Nacional, fica um prédio que funcionou como arena de touros, cuja construção, totalmente reformada internamente, abriga, atualmente, um centro de compras.

Sagrada Família: cartão postal de Barcelona

 
As torres da Sagrada Família se destacam no horizonte de Barcelona

Compramos com antecedência, pela internet, os ingressos para a visita à Basílica da Sagrada Familia. Optamos por uma visita guiada, com entrada na torre do nascimento. A construção é fantástica e a possibilidade de conhecer a história da igreja que permanece em construção faz a visita ainda mais enriquecedora. O guia explica os estudos que o arquiteto Gaudi fez para construir o templo aproveitando a luz externa e privilegiando elementos da natureza. Tudo na construção tem uma explicação técnica, mas também alicerçada em conceitos religiosos e no respeito à natureza.

Colunas e teto no interior da Basílica: formas criadas por Antonio Gaudi

A subida à torre é feita por elevador, mas a descida se faz por uma escadinha estreita e sinuosa, não recomendada para quem tem medo de altura ou lugares fechados. Ao descer a torre, você pode ter visões variadas da cidade, pois há várias janelinhas e sacadas de onde se pode contemplar Barcelona do alto e tirar fotos.

Para saber mais sobre a Sagrada Família, confira este post no qual Dani Góes,  autora do blog Baú de Família, conta todos os detalhes da visita que fez à Basílica.

 
Fachada do Nascimento
 
Vista de Barcelona, da Torre do Nascimento

Após a visita à Sagrada Família, fomos almoçar no Shopping  La Maquinista, que é o maior de Barcelona, mas fica na contramão das principais atrações turísticas, embora o local seja acessível pelo metrô, dando-se uma caminhada de cerca de dez minutos.

A nossa ida a esse Centro Comercial foi um mimo para a nossa filhota adolescente que descobriu que algumas de suas marcas preferidas de roupas – que não são vendidas no Brasil – possuíam filiais no Shopping. Aproveitei para dar uma garimpada numa loja de decoração local, a loja do Gato Preto, que tem itens super interessantes com excelentes preços. Vale a visita se sua intenção for fazer compras!

Principais atrações visitadas: Avenidas Las Ramblas, Park Guell, Bairro Gótico, Catedral de Barcelona, Basílica da Sagrada Família, Palau de La Música Catalanha, Parque de Montjuic, Castelo de Montjuic, Fontes Mágicas, Mercado de La Boqueria, Praças da Catalunha, Real e de Espanha, orla marítima, praia de Barceloneta, Port Vel (antigo Porto de Barcelona) e Port Olimpic (área construída para as olimpíadas de 1992), Bairro de Gracia.

Lugares de comprasMaramegnum, El Corte Inglés, ruas adjacentes à Praça Catalunha (lojas amigas do bolso, como H&M, Pull and Bear, Berska) Passeig de Grácia (grifes famosas), La Maquinista (maior shopping da cidade).

O que ficou faltando: Como viajamos no verão, demos preferência aos passeios ao ar livre, em ruas e parques. Para uma próxima viagem, incluiria alguns museus como a Fundação Juan Miró, o Museu Picasso e o CaixaForum. Também faria um passeio mais demorado pelo bairro El Born (passamos no local bem rápido) e um bate-volta até o Monsatério de Mont Serrat, que fica a 50 km de Barcelona. E iria ao parque de diversões de Tibidabo, outro local da cidade que aparece no filme Vicky Cristina Barcelona. São muitos os motivos para voltar a essa cidade que passou a ser a minha preferida na Espanha! 

Veja aqui o post no qual a nossa colaborada Clarissa Lima, do Instablog @trips.tips conta sua vista ao Mosteiro de Monstserrat.

 

Hotel

Escolhi o Vueling BCN by HC, seguindo uma dica da jornalista Adriana Setti, do blog Achados. O hotel fica próximo ao centro de Barcelona, numa grande avenida, que corta toda a cidade, chamada Granvia. Externamente, o prédio é antigo, porém, internamente, é completamente reformado e a decoração é temática. Como pertence à mesma rede de uma companhia aérea denominada Vueling, a decoração lembra o saguão de um aeroporto. O local onde se faz o check-in do hotel tem o mesmo layout do balcão de check-in de um aeroporto, inclusive com aqueles medidores de bagagem, que são apenas decorativos (risos).
Internamente, cada quarto é decorado com a fotografia de um destino voado pela companhia aérea.  Ficamos num quarto que tinha decoração inspirada em Viena. Havia um grande painel fotográfico atrás da cama de casal com uma bela foto da capital da Áustria. A decoração do hotel é baseada nas cores cinza e amarelo. O quarto é pequeno, mas deu para nos acolher bem, pois tem um sofá cama que acomoda uma terceira pessoa. Embora tenha dimensões reduzidas, os móveis são planejados e muito bem distribuídos, o que garante a funcionalidade da habitação.

 

 
Ambiente moderninho e funcional no quarto do Vueling

 

O serviço é eficiente e o staff é simpático. Não tivemos problemas com a língua (falam catalão, mas também inglês e espanhol). O Vueling fica muito próximo de uma estação de metrô e caminhando por cerca de 15 minutos se chega a Praça  Catalunha, que é o centro nevrálgico de Barcelona. Fomos para algumas atrações, como ruas de compras e Avenida Las Ramblas, a pé, tranquilamente. Outras vezes, pegamos o metrô ou usamos táxi. Há restaurantes e cafeterias nos arredores. Barcelona é uma cidade que tem vida noturna muito agitada e voltamos à noite para o hotel, com segurança. A internet sem fio é gratuita e funciona muito bem. Eu voltaria ao hotel, mas se tivesse que escolher um outro em Barcelona, optaria por algum que ficasse mais próximo do Passeig de Grácia, que é um lugar mais sofisticado. Ficando mais próximo desta Avenida, você estará ainda melhor localizado, embora tanto eu quanto o meu marido e minha filha tenhamos ficado satisfeitos com o Vueling.

Café da manhã

L’Aromática Café fica muito próximo ao Hotel Vueling, onde nos hospedamos e tomamos o café da manhã nessa cafeteria, alguns dias, pagando cerca de 15 euros para três pessoas, enquanto o café no hotel (tipo bufê e bem mais variado, é verdade) ficava em cerca de onze euros por pessoa. Mas as bebidas, sanduíches ou tortilhas dessa cafeteria foram muito satisfatórios. E o que é melhor: descobrimos que lá se serve uma deliciosa paella, por precinho bem camarada, que foi nosso almoço em um dos cinco dias que passamos em Barcelona. Os atendentes são muito educados e simpáticos. Boa opção para quem quiser variar o café da manhã do Vueling.

Fotos de Suzy Freitas

Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados. 

35 comentários em “Barcelona é pura inspiração

Adicione o seu

  1. Suzy, depois desse seu post excelente, sinto-me inspiradíssimo para visitar essa cidade no final de ano. Espero que, apesar do inverno, ela esteja ensolarada (pelos vídeos que vi da cidade na época, as chances são grandes).

    O que mais me chama a atenção é o Parc Guell. Me identifico demais com essa arquitetura modernista. É lindo demais.

    Ademais, reservamos praticamente um dia inteiro para explorar o Bairro Gótico. Parece fenomenal! Gostei do link para o Passaporte Barcelona!

    Valeu Suzy!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Já me identifiquei de início. Filmes e documentários sempre me inspiram na escolha de novos destinos. Cidade linda e com uma arquitetura de deixar qualquer um boquiaberto. Essa ainda esta na minha listinha kkkk. Abraços e parabéns pelo post, super completo.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Viajei com você para Barcelona. Que texto completo e fotos incríveis, no meu caso que ainda não tive a felicidade de conhecer Barcelona, pude sentir mais de perto toda essa arquitetura que impressiona.
    Parabéns pelo texto, muito bem escrito.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Shame on me, nunca fui pra Espanha.. Todo mundo que conhece fica completamente apaixonado por Barcelona e definitivamente preciso tomar vergonha na cara (e achar uma boa promoção) pra conhecer essa cidade. Seu post me deixou com vontade de ir logo! Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Fui a Barcelona há pouco tempo e pude ver de pertinho as suas dicas. Tem tantos lugares para conhecer e precisa de umas 3 viagens para ter a sensação de que viu tudo.. kkkk… dessa vez, aproveitei para conhecer o Museu da Ciência, que por sinal é muito bom para quem tem crianças. Gostei da sua dica de hotel, anotado. Bjus

    Curtido por 1 pessoa

  6. Que saudade de Barcelona! Eu também me identifico muito com lugares que li ou assiste algo a respeito. É muito legal se ver nos locais que já conhecemos de uma certa forma. Tem uma série de Livros de Carlos Ruiz Zafón que se passa em Barcelona e quando visitei, eu estava lendo o segundo livro da série e foi muito legal enxergar os locais que já tinha lido no livro!! Eu ainda prefiro Madri à Barcelona mas é uma cidade encantadora. De todos os locais, o parque Guell é o que mais gostei.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

Vamos viajar pra onde agora?

Roteiros, dicas e relatos de viagens

TripBruta

O mundo através dos meus olhos

http://ondevimparar.com.br/

Roteiros, dicas e relatos de viagens

Roteiro na Mão

Roteiros, dicas e relatos de viagens

Viajandinhas

Dicas de viagens de irmãs viajandinhas

The Get Away

Roteiros, dicas e relatos de viagens

%d blogueiros gostam disto: