Mangue Seco na Bahia, um dia na terra de Tieta

Quem visita Salvador, geralmente, dá uma esticada até as praias do Litoral Norte, que ficam na direção do Estado de Sergipe. Nessa região, estão localizados alguns dos resorts mais famosos da Bahia, como o complexo de Costa do Sauípe, o Iberostar Praia do Forte, o Grand Palladium Imbassaí, e muitos outros hotéis e pousadas. Talvez o que poucos viajantes saibam é que seguido a rodovia onde está a maior parte desses hotéis, se chega a um dos vilarejos mais lendários do litoral: Mangue Seco, na Bahia. O lugar serviu de inspiração para o baiano Jorge Amado escrever o livro Tieta do Agreste, que mais tarde virou novela global. 

Então fica a dica: se você estiver visitando uma das praias do litoral Norte da Bahia, faça um bate-volta até Mangue Seco! Eu fiz, saindo de Costa do Sauípe, e passei um dia bem divertido, subindo e descendo dunas de areia num passeio de buggy, descansando em redes à beira mar e, claro, mergulhando nas águas que um dia banharam Tieta, a sensual personagem criada pelo escritor baiano, que virou novela Global há quase 30 anos (alguém aí assistiu no Vale a Pena ver de novo?!:)

barra-separação-texto

Gosta de praias?

Veja também nosso post sobre as praias da Costa do Descobrimento na Bahia (Trancoso, Arraial D’Ajuda, Praia do Espelho e Caraíva).

barra-separação-texto

Dunas e vegetação em Mangue Seco Bahia

Mangue Seco é um vilarejo rústico e pacato

Mangue seco é um pequeno vilarejo, pertencente ao município de Jandaíra, na Bahia. É a última praia do litoral norte baiano, já na divisa com Sergipe. Os mangues que existiam no local secaram e foram cobertos por dunas de areia formadas pela ação do vento, originando o nome do vilarejo, que antes era conhecido como Santa Cruz da Bela Vista.

 Tenda na praia de Mangue Seco Bahia
Praia de Mangue Seco é a última do Litoral Norte da Bahia, já próximo à divisa com Sergipe
 Chinelo nas areias de Mangue Seco Bahia
Areia fofa e branquinha das dunas combina com pés descalços

As dunas não são altas como as do Rio Grande do Norte, mas o vento intenso já levou a areia a cobrir coqueiros e até parte do povoado nas décadas de 30 e de 60. Para controlar a movimentação das montanhas de areias, os moradores plantam vegetação nativa nas bordas das dunas.

 Dunas em Mangue Seco Bahia
Poucos coqueiros resistem à movimentação das areias e permanecem sobre as dunas
 Coqueiros na Praia de Romeu e Julieta - Mangue Seco Bahia
Os coqueiros Romeu e Julieta que apareciam na abertura da novela Global é parada obrigatória para fotos

O lugar ganhou notoriedade em 1990 quando foi escolhido como locação para a novela Tieta, estrelada por Betty Faria, no horário nobre da Rede Globo. Apesar da fama, o vilarejo permanece pacato e rústico, uma autêntica vila de pescadores, com chão de areia fofa. Há algumas pousadas e restaurantes, que atendem bem a demanda turística, mas nada que tire o sossego do povoado, banhado de um lado pelo rio Real e do outro pelo mar.

 Barcos para Mangue Seco partem do Vilarejo de Pontal
Da pequena Pontal, em Sergipe, partem as embarcações que levam até Mangue Seco, no litoral da Bahia

Onde fica Manque Seco

Está localizado a 215 km do aeroporto de Salvador e a 80 km de Aracaju. Partindo do lado baiano, o passeio de ida e volta no mesmo dia só vale a pena para quem estiver hospedado de Praia do Forte em diante. Se você estiver em Salvador ou em alguma praia do litoral norte mais próxima da capital, o melhor é pernoitar numa das pousadas do vilarejo, pois a distância tornará o bate-volta muito cansativo. Agências de turismo oferecem o passeio a partir de Salvador e de praias do Litoral Norte. De Aracaju, o bate-volta pode ser feito com tranquilidade, pois a distância é muito mais curta.

 Barcos atravessam rio para Mangue Seco
A travessia do Rio Real, de Pontal para Mangue Seco, dura cerca de 15 minutos

Eu, meu marido e um casal de amigos fizemos o passeio de carro próprio. Partindo de Costa do Sauípe ou de qualquer outra praia do litoral ao norte de Salvador, o acesso à Mangue Seco é bem fácil, pela linha verde – rodovia que liga os estados da Bahia e Sergipe, acompanhando o litoral (BA-099, que se torna a SE-368, no lado sergipano). Na entrada de Pontal, já no Estado de Sergipe, deixamos a Linha Verde, e continuamos por mais 12 km de asfalto até chegamos à vila de Pontal, onde há estacionamentos para se deixar o carro (R$10,00 a diária) e atravessar o Rio Real até Mangue Seco. A chegada ao vilarejo de carro só é possível em veículos 4×4, mas a circulação na praia é proibida porque há ninhos de tartarugas marinhas.

 Barcos no cais de Mangue Seco
Embarcações atracadas no cais de Mangue Seco

A travessia dura cerca de 15 a 20 minutos em barcos (R$ 5,00 por pessoa cada trecho) ou 10 a 15 minutos em lancha ( 150,00 para quatro pessoas ida e volta). Chegando no cais, é possível ir para praia andando num caminho de cerca de 15 minutos, mas o melhor mesmo é contratar o passeio de buggy, pois a principal atração do lugar são as dunas de areia. Há três opções de passeios: um de R$ 90 com duas paradas, outro de R$ 130 e o mais completo por R$ 170 00 (todos os preços são para até quatro pessoas).

 Passeio de Buggy nas dunas de Mangue Seco Bahia
Andar de buggy pelas duanas é atração imperdível do pequeno povoado

Passeio nas dunas é principal atração de Mangue Seco

O passeio pelas dunas inclui algumas paradas para contemplação e fotos em mirantes e locais que serviram de locação para a novela global. O buggueiro vai explicando os cenários: lugar onde a personagem Tieta pastoreava cabritas; os dois coqueiros que apareciam na abertura da novela chamados Romeu e Julieta, e por aí vai.

 Dunas de Mangue Seco Bahia
Passeio de buggy inclui paradas em mirantes e pontos que foram locação da novela Tieta
 Buggy em duna de Mangue Seco
Apesar de não serem tão altas quanto as de Natal, o passeio de buggy garante a “emoção” da visita

Nós fizemos o passeio mais longo que incluiu uma esticada até o vilarejo de Coqueiros, que tem uma simpática igrejinha. Neste local, se faz uma parada no Restaurante da Aurora, onde tomamos um delicioso suco de mangaba, fruta bem comum na região.

 Igreja em Coqueiros povoado próximo à Mangue Seco
Igrejinha no povoado de Coqueiros, vizinho à Mangue Seco

Sossego na praia de Mangue Seco

Após percorrer mais da metade das dunas, o motorista deixa os passageiros na praia de Mangue Seco e marca a hora para pegá-los de volta.

 Praia de Manque Seco Bahia
Mar de ondas frequentes, mas com baixa profundidade, garante excelente banho na praia de Mangue Seco

A praia tem um extenso areal, com as dunas em segundo plano. O mar tem ondas frequentes, porém baixa profundidade, rendendo um excelente banho, pois as ondas chegam à beira-mar com força e tamanho apenas para divertir os banhistas. O tom da água não é azul intenso e cristalino, como em outras praias baianas, lembrando mais o litoral de Aracaju, que têm águas em azul mais escuro e menos transparente. Há várias barracas, algumas com redes penduradas em gazebos improvisados com cipós e esteiras de palha, bem próximos ao mar. Uma delícia!

 Barracas na praia de Mangue Seco
Donos de barracas improvisam gazebos em frente ao mar para deleite dos banhistas

Para aproveitar mais o tempo na praia, resolvemos almoçar por ali mesmo, na barraca da Inês, onde estávamos. A ideia não foi boa, pois o atendimento foi extremamente demorado e os pratos servidos deixaram a desejar em sabor e qualidade. Melhor evitar o almoço na praia. Outros viajantes indicaram os restaurantes O Forte e Frutos do Mar, que ficam à beira Rio. Não fomos, mas fica a dica!

 Vista do rio de Mangue Seco
O pacato e rústico povoado é banhado pelo Rio Real e pelo mar

Depois da praia, o passeio de buggy continua pelas dunas com mais duas paradas, a última num mirante sobre as montanhas de areia para ver o por do sol. Por fim, o motorista nos deixou no mesmo ponto de partida, no cais. Aproveitamos para dar uma voltinha na orla do rio do vilarejo, que está reformada e bem bonitinha.  Nessa orla, há restaurantes e pousadas. Na área próxima ao cais, você encontra barraquinhas vendendo artesanato, principalmente produtos de renda, bolsas, chapéus, saídas de praia, dentre outros. Fizemos a travessia mais uma vez de barco, pegamos o carro no estacionamento em Pontal e voltamos cansados e felizes para Costa do Sauipe.

 Fotos de Suzy Freitas

– Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados. 

 

 

10 comentários em “Mangue Seco na Bahia, um dia na terra de Tieta

Adicione o seu

  1. Fiquei fascinada com esse roteiro! Adorei saber sobre a origem do nome, realmente não sabia! No Canal Viva a novela está sendo reapresentada, vou fazer questão de assistir hoje só para ver a abertura e lembrar de seu post!! Parabéns!!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: