Mar e história em Vitória e Vila Velha

vitoria-orla-3
Vitória, a agradável capital do Espírito Santo é contígua à cidade de Vila Velha

Até agora não sei explicar porque demorei tanto para conhecer o Espírito Santo, estado vizinho à minha Bahia. Já tinha viajado para 18 estados brasileiros, quando aportei em solo capixaba. Hospedei-me na agradável Vitória, que já traz como bônus Vila Velha, o município que é uma extensão da capital. Como se não bastasse, Vitória fica a menos de 100 km de dois destinos perfeitinhos para bate-voltas: Guarapari, onde estão as melhores praias do Estado e Domingos Martins, na região serrana onde fica o Parque Estadual da Pedra Azul.

Minha estadia foi de apenas três dias e meio, baseada em Vitória, mas fiz questão de conhecer Guarapari e Domingos Martins, indo do mar à montanha, em alta velocidade. A viagem serviu como um menu degustação de regiões que podem e devem ser visitadas com mais calma. Mesmo assim, com um carro alugado e a sorte de pegar dias de sol, deu para conhecer o básico num feriadão.

Agora, eu vou te contar como foram esses dias em solo capixaba (entre Vitória e Vila Velha), na companhia de meu maridão e companheiro de escapadas de todas as horas.

Veja também nossos posts sobre Guarapari e Pedra Azul!

Conhecendo Vitóriavitoria-orla-4

Vitória tem um litoral bem recortado. A parte central da cidade é uma ilha, com duas pontes fazendo a ligação da zona portuária da capital ao centro de Vila Velha, enquanto a bela terceira ponte liga a Praia do Canto, em Vitória, à Praia da Costa, na cidade vizinha. A água do mar tem um tom esverdeado e as praias urbanas são caracterizadas pelo entorno com montanhas.

Orla marítima

Começamos nossa visita pelas praias da Ilha do Boi, bairro de classe alta de Vitória, com muito verde e repleto de casas, excelente para um passeio. Há duas praias no local, a Grande e a da Direita, ambas com mar de águas calmas. Estavam lotadas de banhistas no feriado ensolarado. São frequentadas por moradores do bairro ou pessoas com maior poder aquisitivo.  Foi difícil encontrar uma vaga para estacionar, mas deu para dar uma espiada nas praias e passar por uma pracinha que fica antes da praia Grande, com algumas barracas de petiscos e muitas árvores, o que dá um clima familiar e de tranquilidade ao local.

praia-da-direita

Praias no bairro da Ilha do Boi lotadas no feriado

Partimos para a Praia de Camburí, uma das maiores e mais frequentadas de Vitória, com imenso calçadão de mais de 5 km de extensão, com ciclovia e quiosques. Aqui a faixa de areia é larga e os moradores aproveitam para jogar vôlei na praia ou caminhar a pé ou de bicicleta.

orla-vitoria-barco

praia-camburi-calcadao
Cciclovia na orla: moradores aproveitam o atributo de residirem à beira mar

Em seguida, fica a Praia do Canto, onde há grande concentração de hotéis, restaurantes e bares. O bairro é de classe média alta. A praia praticamente não tem areal. Em compensação, há quadras esportivas e a Praça dos Namorados, com pistas de patins e skate, o que nos deixou com a boa impressão de que, embora as praias não sejam tão bonitas, a orla é muito bem aproveitada para passeio e esportes pela população local. Querendo é só tomar um banho para se refrescar, como fizemos na Praia do Canto, que tem água do mar com temperatura agradável, apesar do vento constante. Na Praça dos Namorados, o letreiro com o nome da cidade em 3D é parada obrigatória para foto dos visitantes.

Letreiro em 3D na Praia do Canto, que tem estreita faixa de areia

A Curva da Jurema foi a última praia que visitamos. Como as demais, também estava bastante cheia. É menor do que a Praia do Camburi e fica praticamente em frente do Shopping Vitória, o principal da cidade.

vista-ilhado-boi2

vista-ilha-do-boi1
Vistas do restaurante que fica no Hotel Senac Ilha do Boi

Gostamos da vibe na Ilha do Boi e retornamos para almoçar no restaurante que fica no Hotel Senac, na parte mais alta do bairro. O restaurante tem uma bela vista para o mar, excelente comida, além de um ótimo custo benefício. Pagamos R$ 46,00 por pessoa pelo menu completo, com entrada de folhas verdes com lascas de queijo parmesão, um delicioso risoto de camarão e sobremesa de petit gateau,com sorvete de creme.

Centro histórico

Depois do almoço, partimos para o centro histórico de Vitória, que é o mais antigo município da região Sudeste, fundando em 1551. Infelizmente, muitas construções históricas foram destruídas. As poucas que sobreviveram ficam concentradas na chamada Cidade Alta, bairro que foi criado para que Vitória pudesse se proteger das constantes invasões que aconteciam na parte baixa.

Palácio-Anchieta
O Palácio Anchieta é um dos mais importantes edifícios do Centro Histórico de Vitória

Como nossa visita foi num feriado, o centro estava vazio e pudemos percorrer tranquilamente a pé suas ruas. Paramos na Praça João Climaco para admirar a beleza e imponência do Palácio Anchieta, construído entre 1573 e 1759, que funcionou como convento até se tornar a sede do Governo Estadual. Seguimos por uma ruazinha lateral ao Palácio e chegamos à pequena Igreja de São Gonçalo (1707).

Igreja de São Gonçalo e Capela de Santa Luzia

Caminhamos pela Rua Pedro Palácio até a bonita Catedral Metropolitana, uma construção de 1920, em estilo neogótico.

catedral-de-vitoria
Catedral Metropolitana tem estilo neogótico

Voltamos pela rua José Marcelino Costa, onde fica a Capela de Santa Luzia, do século 16, a construção mais antiga da cidade. O descaso que houve durante muito tempo com o patrimônio arquitetônico faz com que essa construção divida espaço com um prédio mais moderno e de gosto duvidoso, onde funciona um consultório dentário!

4

#anote

Nossa visita ao Centro Histórico foi rápida e priorizamos as construções que ficavam mais próximas. Não visitamos o Convento de São Francisco (1591), o Teatro Carlos Gomes (1927) e a Igreja do Rosário (1763).  Mas se você quiser fazer um passeio completo, há monitores gratuitos do Projeto Visitar, que acompanham os turistas pelas várias edificações de interesse histórico. Para maiores informações, clique neste site.

Também é possível visitar o interior do Palácio Anchieta (de 3ª a 6ª das 09/17h, sábados das 10 às 17h, domingos das 10h às 16h, entrada gratuita). Aos sábados e domingos, a visita é completa, incluindo o gabinete do governador e os salões nobres. Endereço: Praça João Clímaco, s/n, Cidade Alta, Centro, Vitória. Fone: (27) 3636-1032.

4

 

Ilha de Caeiras

ilha-de-caeeiras-pier
Final da tarde na Ilha onde ficam as desfiadeiras de siri

Deixamos a Cidade Alta e partimos para a Ilha de Caeiras, que fica a cerca de 6 km do centro e concentra as desfiadeiras de siri, mulheres que desfiam o crustáceo para distribuição nos estabelecimentos de Vitória.  Nossa ideia era ver o por do sol, mas o GPS nos levou para uma rua deserta nesse bairro popular da periferia. Quando, enfim, encontramos o lugar onde fica o píer, a praça e os pequenos bares que vendem petiscos à base de frutos do mar, o tempo tinha nublado.

ilha-de-caeeiras
Caeiras fica na periferia da cidade e é ideal para ver o por-do-sol

Os últimos raios de sol que teimavam atravessar as nuvens deixavam um tom prateado no mar. Sentamos na pequena marina e ficamos admirando os barquinhos coloridos aportados naquele bairro simples e pitoresco da cidade que acabávamos de conhecer.

triangulo-das-bermudas
“Triângulo das Bermudas” concentra bares e restaurantes na Praia do Canto

Apesar de não termos o hábito de sair à noite em nossas viagens, fomos até o local conhecido como “triangulo das bermudas”, na Praia do Canto, para conferir como é o agito noturno em Vitoria. Há um calçadão para pedestres e muitos bares e restaurantes nessa região, como o Di Dom Dom e Abertura e alguns temáticos como o Django e Bilac. A região é frequentada por jovens, tem um clima descontraído e é uma boa pedida para encerrar a noite.

 

Vila Velha, a bela vizinha

vila-velha
Apenas pontes separam Vila Velha de Vitória

Embora sejam municípios distintos, Vila Velha e Vitória são separados apenas por pontes. Portanto ao planejar uma viagem para a capital, saiba que já leva de bônus a cidade vizinha. E Vila Velha tem muito a oferecer ao visitante.

O Convento de Nossa Senhora da Penha, cartão postal do Estado, fica no alto de um morro em Vila Velha, com vista para as duas cidades. Além disso, há outros atrativos históricos e as praias da cidade são mais bonitas – na minha opinião – do que as de Vitória.

Tivemos pouco mais da metade de um dia para explorar Vila Velha, pois nosso voo de volta estava marcado para às 15h45!  Foi uma pena, porque a cidade proporciona bem mais do que pudemos ver. Priorizamos as visitas ao Convento da Penha, à Praia da Costa e ao Farol de Santa Luzia.

 Convento da Penha

convento-da-penha
A bela edificação é o mais emblemático cartão postal do Estado

Instalado no alto de um morro, a 154 metros de altura, o convento da Penha foi construído em 1558 e é um dos mais importantes santuários católicos do país. Está localizado no bairro de Prainha, na rua Vasco Coutinho, que fica na base do morro, onde há inúmeras lojas que vendem lembranças, artigos religiosos e peças de artesanato.

Incrustado na montanha, o convento fica a 154 metros de altura

Pode-se chegar ao convento de três formas. Para quem está preparado fisicamente, há um acesso a pé, por um caminho íngreme de 590 m no meio da mata, chamado de Ladeira da Penitência, pois é percorrido por muitos devotos, como pagamento de promessas. Quem estiver de carro e chegar bem cedo, pode subir  a estradinha de 1 km e deixar o veículo no estacionamento que fica no alto do morro. Outra opção, que foi a nossa escolha, é pegar as vans que fazem o trajeto a cada 15 minutos. O valor do transporte é R$ 4,00 subida/descida ou R$ 3,00 para apenas um dos trechos. Você chega no local do estacionamento, de onde já se tem uma linda vista tanto do convento quanto da terceira ponte que liga as cidades de Vila Velha e Vitória.

Portão de entrada e escadaria para quem faz o trajeto a pé

Neste local, há uma lanchonete, toaletes e bebedouros. Daí subimos os 116 degraus que levam ao convento. Primeiro, passamos por três salas que funcionam como museu sacro, loja e sala de ex-votos, onde fiéis deixam fotos e objetos como demonstração das graças alcançadas. Subindo uma pequena escada, chegamos à a capela de Nossa Senhora da Penha, construída em 1562 e onde fica guardada a imagem da santa, que é a padroeira do Estado.

Imagem de Nossa Senhora da Penha fica na capela do Convento

Durante a nossa visita, estava sendo celebrada missa e a pequena capela estava lotada. Nas áreas abertas que ficam adjacentes à construção, a vista é estonteante, contemplando as orlas de Vitória e Vila Velha.

vista-convento1

A subida ao convento oferece lindas vistas de Vitória e Vila Velha

Vale muito a pena visitar o convento, seja você religioso ou não. Além da importância como local de peregrinação católica, o convento é uma bela construção histórica e proporciona uma vista encantadora.

curiosidade

4

#anote

A entrada no Convento é gratuita e o portão de acesso fica aberto de segunda a sábado, das 5h15 às 16h45 e aos domingos das 04h45 às 16h45.

Para consultar horários das missas ou outros serviços, visite o site do Convento.

Endereço: Rua Vasco Coutinho – Prainha – Vila Velha. Fone: (27) 3329-0420.

Para você se apaixonar ainda mais pelo Convento da Penha, veja essas fotos que eu tirei dos slides que são apresentados na sala que funciona como Museu!

4

Praia da Costa

praia-da-costa-vela-velha
A praia da Costa é a mais badalada de Vila Velha

Deixamos o convento e formos dar uma volta de carro pela orla de Vila Velha, que é bem agradável, toda cercada por um calçadão. O mar tem tom azulado, diferente do verde turvo de Vitória. Paramos na Praia da Costa, a mais famosa da cidade. Aqui o calçadão tem ciclovias, restaurantes, lanchonetes, sorveterias, com boa estrutura para atender os frequentadores.

praia-da-costa
Moradores aproveitam o dia de sol na orla de Vila Velha

O banho de mar é gostoso, embora a água seja bem mais fria do que a que estamos acostumados no Nordeste. Mas tivemos a impressão de que tanto em Vitória quanto em Vila Velha, os moradores aproveitam bem o atributo de estarem à beira do oceano, seja praticando esportes nas quadras e calçadões bem cuidados, seja se esbaldando entre a areia e o mar.

Farol de Santa Luzia

farol-de-santa-luzia
No final da Praia da Costa vale a pena visitar o antigo Farol de Santa Luzia

Como última atração de nossa visita, seguimos até o final da Praia da Costa, onde está o Farol de Santa Luzia. Com 17 m de altura, o farol foi construído na Escócia e instalado em Vila Velha no ano de 1871 para orientar as embarcações na Baía de Vitória. O acesso é gratuito, porém é controlado, pois o local é de propriedade da Marinha. Podem entrar apenas 25 pessoas por vez e o período de permanência máximo é de 25 minutos.

Área do Farol e “nós de marinheiros” da pequena exposição local

Ali é possível ver uma pequena exposição de nós de marinheiros e brincar no deck, onde há um leme, simulando uma embarcação. No momento da nossa visita, havia poucas pessoas e o melhor a fazer no local é contemplar a beleza e a tranquilidade que o mar transmite.

4

#anote

Visitas das 9h às 16h30. Entrada gratuita. Endereço – Rua Fernando Monteiro Lindenberg, 10 – Praia da Costa, Vila Velha.  Fone: (27) 3349-3898.

4

Deixamos Vila Velha com a linda vista do Farol de Santa Luzia na mente, almoçamos no aeroporto de Vitória e retornamos a Salvador, com a certeza de que o nosso estado vizinho reserva excelentes surpresas para o visitante!

Dicas

HOTEL

Ficamos no Golden Tulip Vitória, na Enseada do Suá, hotel bem localizado, em frente à Praça do Papa e próximo ao Shopping Vitória e das praias da capital. Quarto confortável e de bom tamanho. Estrutura com piscina, academia, salão de eventos, wi-fi grátis. Café da manhã excelente, com muitas opções de qualidade. O hotel possui estacionamento e cobra a taxa de R$ 10,00 por noite.

Reservamos pela decolar, que estava com uma promoção de diária para casal com café da manhã no valor de R$ 150,68, menor que em outros sites que consultamos. Gostamos muito das acomodações, que incluíam, de bônus, quarto com vista para o Convento da Penha. Mas para quem estiver sem carro, será melhor hospedar-se num dos hotéis das praias do Canto ou de Camburi, para ficar na orla.

4

QUER SABER MAIS?

Para planejar nossa viagem, consultei os blogs Tem que Ir, Sundaycooks  e Rotas Capixabas. Se você quiser incrementar sua viagem ou estender a estadia, dá uma conferida nos posts sobre Vitória e Vila Velha desses blogs, pois estão excelentes, recheados de dicas!

4

Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados.

35 comentários em “Mar e história em Vitória e Vila Velha

Adicione o seu

  1. Todo mundo que eu conheço que vai para o Espírito Santo volta apaixonado! Amei esse roteiro, deu vontade de conhecer. Achava que a famosa escadaria da Penha era do RJ kkk. Ela é muito linda. Ainda bem q tem outra opção além de ir a pé kk

  2. Que saudade de Vitória! Nossa, saiu barato o hotel hein? Que coisa boa! Estive em Vitória 2 vezes, mas ainda era adolescente… Vendo as fotos me deu saudade. Agora preciso retornar para conhecer o que ainda não conheci. Ah, concordo com você em relação à água! Tb achei gelada… Mas a gente aguenta hehehe

  3. Olha ta aí um lugar próximo que da pra fazer uma viagem curtinha, adorei as dicas da terrinha capixaba. O bom que fds é mais barato hospedagens, achei ótimo rs.. não sabia dessa dica valiosa. Vou me programar para conhecer bjs

  4. Amei Vila Velha! Também me pergunto por quê demorei tanto tempo para conhecer o litoral do ES. Uma praia mais encantadora do que a outra. Acabei me hospedando na Praia da Costa e gostei também. Foi até as paneleiras? Achei bem interessante a maneira como produzem as famosas panelas de barro.

  5. Falta conhecer esse belo Estado, inclusive até criei um plano de viagem para minha mãe que viajou recentemente e conheceu essas belezuras, por sinal me encantei com os relatos dela. O post está incrível, cheio de dicas e fotos belíssimas.

  6. O Espírito Santo é, infelizmente, um destino turístico ainda pouco divulgado no Brasil. Uma pena, pois achei Vitória uma cidade linda! Seu relato está bem completo e dá uma boa ideia de tudo que tem para se curtir por lá. Destaco a vista no alto do morro em Vila Velha. Achei maravilhosa!!!

  7. Vitoria é uma das cidades que poucas pessoas exploram e que é uma gracinha! Tem a Ponta da fruta também uma bela praia saindo de Vila Velha para Guarapari, Demais! Ah! E as montanhas capixabas são belíssimas e com roteiros bem legais!

  8. Eu simplesmente acabei (mesmo) de falar que gostaria de passar o carnaval em Vitória e região! Já estive lá na adolescência e lembro que me apaixonei pelo convento da Penha.. Por isso quero tanto voltar, sabia o que essas cidades ainda tinham muito para oferecer e com esse post só comprovei isso!!!

  9. Cada vez me impressiono mais com a beleza de nosso País e comigo mesma: como não conheço nem a metade desses paraísos?!! Ao mesmo tempo, fico muito triste em ver que os governos não investem em turismo! E feliz por de ter seu blog fazendo esse mega trabalho pelo nosso Brasilzão! Parabéns! Excelente post!! Completíssimo como sempre!

  10. Gente, me ensinem a multiplicar o tempo assim também! kkkkk. Uma das grandes vantagens de alugar carro é essa né? gosto demais também. Ainda não conheço nenhuma dessas cidades, tenho muito vontade de conhecer Vitória, parece ser uma cidade mto bonita, mas as praias são lotadinhas hein ?! Valeu pelas super dicas! Abraço

  11. Visitei Vitória com os meus pais quando criança e já não me lembro de nada, mas tenho certeza que não visitamos esses lugares.

    Temos muita vontade de passar um feriado na capital do Espirito Santo, e notamos que há vôos diretos de Brasília, mas os preços, infelizmente, nos desanimam um pouco! Mesmo assim, gostaria de visitar, não só pra conhecer a cidade (partiu subir trocentas escadas desse convento, já fomos treinados em nossa viagem à Europa haha) mas também para subir para Domingos Martins. Tudo lindo, inclusive o Palácio Anchieta! Valeu pelas dicas e pelo guia completo!

  12. Conheci um pouquinho do Espírito Santo ano passado, mas infelizmente quase não conheci Vitória, e Vila Velha só vi de longe. Estou planejando voltar para esse estado lindo esse ano, amei todas as informações desse post!

  13. ola bn, estou querendo ir a Vitoria em novembro ficar 6 dias quero conhecer vitoria vila velha, domingos martins e Guarapari , queria me hospedar dois dias em cada, qual melhor roteiro? Estou partindo do Rj e pretendo alugar um carro.

    1. Olá, Sandra! Vitória e Vila Velha são cidades contíguas. Você pode se hospedar em qualquer uma e visitar as duas. Já que gosta de praias procure hotéis na Praia do Canto (Vitória) ou Praia da Costa (Vila Velha). Para dois dias em Guarapari, escolha uma pousada em Meaípe ou Bacutia , que ficam no município de Guarapari, e são praias bem charmosas. Na região de Domingos Martins/Serra Capixaba, eu reservaria dois dias numa pousada na região da Rota do Lagarto, perto da Pedra Azul. O lugar é bem charmoso. Se preferir ficar em Domingos Martins, vá de carro ao Parque Estadual da Pedra Azul, que fica a aproximadamente 50 km. O legal é que nesse roteiro você pode curtir praia e montanha ao mesmo tempo! Espero ter ajudado. Se precisar de mais informações, é só escrever. Um abraço.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: