Bogotá, a frenética

Bogota-vista-monte5
A capital abriga 20% da população do País

Bogotá foi a última cidade visitada em nossa expedição colombiana. Não espere se apaixonar à primeira vista pela capital do País. Bogotá é uma metrópole moderna, onde moram 8 milhões de pessoas, que corresponde a 20% da população da Colômbia. A cidade fica numa planície, rodeada por uma cadeia de montanhas, tem avenidas largas e amplas praças, mas seu trânsito é sempre congestionado. Tem clima frio, e é a terceira capital mais alta do mundo, a 2640 m de altitude, atrás apenas de La Paz e Quito, o que pode causar um pouco de desconforto nos primeiros momentos (eu senti, mas as outras quatro pessoas do meu grupo não se queixaram). Comparando com o Brasil, é como se fosse uma São Paulo. Não exibe uma beleza imediata, mas com um pouco mais de intimidade, o visitante vai descobrindo suas virtudes, que não são poucas, especialmente nas áreas cultural e gastronômica. São 54 museus, 45 teatros, rede hoteleira de nível internacional, restaurantes, bares e centros comerciais para todos os gostos e bolsos.

Bogotá 4
O bairro da Candelária com suas construções antigas e coloridas

Prepare-se, portanto, para visitar alguns dos museus mais importantes da América do Sul, passear pelas ruas de um centro histórico bem preservado, experimentar uma culinária cosmopolita e fazer compras com preços melhores do que no Brasil. Transite entre a Bogotá antiga da Candelária e a capital frenética e agitada da Zona Rosa. Também não pode ficar de fora de seu roteiro o programa mais conhecido da cidade: a subida ao cerro de Monserrate. Desse mirante, você terá uma vista magnífica de Bogotá! Guardadas as diferenças de paisagens, vale como uma subida ao Cristo Redentor no Rio.
Ficamos quatro dias. A capital vale uma visita mais longa, mas é possível conhecer as principais atrações numa viagem curta, portanto, é uma boa opção de destino para um feriado prolongado ou um pit stop para quem visita outros destinos da Colômbia, que era o nosso caso. Reservamos três dias para a cidade e no quarto fizemos um bate-volta combinando a visita à Catedral do Sal, no povoado de Zipaquirá, e um almoço no restaurante Andre Carnes de Res, no pueblo de Chia (aguarde o post com o relato dessa visita).
4

Confira informações sobre clima, transporte, câmbio e segurança, além de dicas gerais sobre a Colômbia no post Colômbia, um país surpreendente.

Veja também os outros posts de nossa viagem ao país:

4

Agora, vamos lá, que eu vou te contar as principais atrações que conhecemos na cidade:

História, cultura e arte

Na zona central da cidade ficam o Cerro de Montsserate, a Candelária e a Plaza Bolívar, as atrações mais importantes da Capital, que podem ser visitadas num único dia, pois estão todas próximas.
É bom lembrar que ficam também nessa região os principias museus da cidade. Portanto, se você deseja visitar um maior número de museus ou passar mais tempo neles, divida o passeio em dois dias. Visite num dia Monserrate (fique atento ao tempo, pois se o dia estiver com névoa, não terá boa visibilidade) e num outro conheça o centro histórico (Candelária, Plaza Bolívar e prédios da administração pública). Nesse dia, visite os museus de sua preferência, os principais são o do Oro e o Botero.

Centro histórico tem construções bem preservadas

Há um free walking tour feito pela Beyondcolombia que cobre essa região, partindo de frente do Museu do Oro, na Calle 16#6-02 (em Bogotá as ruas têm números e não nomes). Para maiores informações sobre esse tour, viste o site.
Nós optamos por contratar um táxi no hotel, que fez o percurso de ida/volta e o motorista/guia permaneceu conosco, o que nos permitiu visitar todas as atrações num só dia.

Cerro de Monserrate

Bogota-vista-monte1-2
Do alto de Monserrate, tem-se uma vista panorâmica da cidade

Começamos o passeio pelo Cerro de Monserrate, que tem 3.152m de altitude. Para chegar ao topo da montanha existem três formas: funicular, teleférico ou caminhada pela íngreme subida, seguindo uma trilha de 45 minutos a uma hora, desaconselhável de ser feita durante a semana ou à noite, por questões de segurança.
Nós subimos de funicular e descemos de teleférico. Há uma fila moderada tanto na subida quanto na descida. Saindo do funicular, há um pequeno trajeto que se faz a pé, onde há 14 esculturas, representando a via crucis, e vista para a bela vegetação que fica no entorno do cerro.

bogota-cerro-monserrate
O local é cercado de vasta vegetação e também tem vista para o vizinho cerro de Guadalupe

O cerro fica a 512 m acima da cidade e você vence essa altitude em poucos minutos. Lá de cima, se vislumbra toda a planície onde Bogotá foi construída. Tivemos sorte de pegar uma manhã com poucas nuvens e pudemos aproveitar a vista panorâmica da cidade, que é sensacional. Na paisagem urbana, chamam a atenção os inúmeros prédios revestidos de tijolos – depois de Londres, Bogotá é a cidade onde há o maior número de construções desse tipo.

Bogota-vista-monte3
Vista de Bogotá com as cadeias de montanhas ao fundo

Além de ser um ponto turístico, Monserrate também é um local de peregrinação religiosa. No topo da montanha fica a Basílica Santuário do Senhor Caído de Monserrate (fundada em 1640), um templo da igreja católica. O complexo ainda abriga lojas, café, banheiros e restaurantes.

Monterate-capela
Capela de Monserrate: local de peregrinação religiosa

Atrás da igreja há uma feira de artesanato típico colombiano, onde compramos lembrancinhas e as famosas bolsas artesanais da tribo Wayuu com preços bem mais em conta do que as vendidas nas lojas dos shoppings da cidade.

ANOTE A DICA

Teleférico e funicular levam ao topo de Monserrate

Quem quer ter a experiência de usar as duas formas de subida ao cerro, precisa prestar atenção aos horários do funicular e do teleférico, que são os seguintes:
Teleférico
Segunda-Sábado: 12h00-00h00
Domingos: 06h30-18h00
Feriados: 12h00-06h00
Funicular
Segunda-Sexta: 07h00-11h45
Sábado: 07h00-14h00
Domingos: 06h30-17h30
Feriados: 06h30-14h00
A entrada custa aproximadamente R$ 25,00 e crianças com mais de um metro de altura pagam inteira.
Antes de viajar, confirme os horários e veja preços atualizados no site oficial.

Candelária

candelaria-rua
Candelária é um dos bairros históricos de Bogotá

 

O centro antigo de Bogotá é repleto de casinhas coloridas espalhadas em ruas com calçamento de paralelipípedos, tendo ao fundo, o majestoso cerro de Monserrate. O local é denominado Candelária e reúne várias igrejas, museus, centros culturais e algumas universidades. O clima é alegre e descontraído, com cafés, restaurantes, hostels, tudo numa atmosfera mais roots.

É um delicioso passeio a pé para quem curte roteiros históricos urbanos. Há bastante policiais fazendo a segurança do local, pela sua importância turística. Entre os destaques do centro estão a Plaza Bolívar, o Museu do Oro, o Museu Botero e o Centro cultural Gabriel Garcia Marquez.

catedral-listrada2
Igreja Nossa Senhora do Carmo é pintada  com faixas vermelhas e brancas

Entre as igrejas, vale a pena a visita da Igreja de São Francisco (a mais antiga, erguida no século 16) e a primeira Catedral, que fica na Plaza Bolívar. Outra construção que chama a atenção é a Igreja Nossa Senhora do Carmo, construída em 1927, em estilo gótico e pintada com faixas vermelhas e brancas.

Plaza Bolívar

Bogota-Plaza-Bolívar-2
Plaza Bolívar: centro do poder político de Bogotá

A Plaza Bolívar está sempre repleta de pombos e é considerada o coração da cidade, existente desde a época da fundação de Bogotá, em 1538. Seu formato é de um imenso retângulo, com uma estátua de Simon Bolívar no centro. Em volta estão a Catedral Primada (estilo espanhol, construída entre os anos de 1807 e 1823), o Capitólio (prédio que abriga o Congresso Nacional, construído entre 1846-1926, em estilo britânico), a Alcadia (prefeitura, de traços franceses) e o Palácio da Justiça (construção colombiana, de 1989).

catedral-rprimada-1
Catedral Primada

O patrimônio arquitetônico é bem conservado e esse conjunto de construções é uma boa mostra do passado da capital e das influências de países estrangeiros na Colômbia desde a colonização. A uma quadra dali, fica o Palácio de Nariño, sede do governo colombiano, construído em 1906.

Bogota-Plaza-Bolívar
Prédio de Alcadia (Prefeitura) de Bogotá
bogots-palacio-de-narino
Palácio de Nariño, sede do governo colombiano

Museu Botero

museu-botero
Casarão em estilo espanhol abriga o Museu

O Museu Botero possui um rico acervo de obras do artista plástico colombiano mais conhecido mundialmente, Fernando Botero, o pintor e escultor cuja obra é caracterizada pelas formas amplas e sinuosas – as famosas “gordinhas”.

Pinturas de Botero

O casarão que abriga o Museu tem estilo espanhol, com um pátio central onde há uma fonte e um jardim bem cuidado. A entrada é free e você pode fotografar à vontade, sem flash. No acervo, destaque para algumas telas célebres de Botero, como sua releitura da Monalisa. Há também obras de outros artistas de renome, como Dali, Picasso, Van Gogh e Monet, que foram doadas pelo próprio Botero ao Museu.

Museu do Ouro

museu-do-ouro
Coleção do Museu encanta visitantes

É o maior museu de ouro do mundo, com 34 mil peças do metal!!! Não saia de Bogotá sem visitá-lo. Criado em 1939 pelo Banco Central da Colômbia, tem uma fabulosa coleção arqueológica, que conta a evolução cultural dos povos pré-hispânicos através do uso dos metais.

No século 16, a abundância do ouro no país alimentou a cobiça e o interesse dos colonizadores espanhóis. Os povos indígenas que já viviam no território colombiano usavam ouro, prata e cobre em diversos artefatos, que fazem parte do acervo impactante desse grandioso museu.

museu-de-oro-b
Peças reconstituem passado da população andina

Além das peças em ouro, o Museu possui mais 20.000 objetos ósseos, líticos, cerâmicos e têxteis, que reconstituem o passado das populações andinas que viviam na Colômbia antes da chegada dos espanhóis.
A exposição está distribuída em três andares. No último deles, há uma sala que reproduz sons da natureza e de cantos indígenas com efeitos de luzes que vão aos poucos mostrando as peças expostas de forma circular pela sala.
Há visitas guiadas de cerca de uma hora de terça à sábado, recomendada para quem quer se inteirar da história por trás dos artefatos. Infelizmente, não conseguimos pegar o horário da última visita com guia. Mesmo assim, considero a ida ao Museu um dos pontos altos de nossa viagem a Bogotá. Parada obrigatória para qualquer visitante que se interesse por arte, cultura e história.
No final do passeio, fomos ao café que fica no Museu, que têm bons pratos, porém o atendimento é lento.
Para ver horários de visita e valores do ingresso, visite o site do Museu do Ouro.

Agito, gastronomia e compras

Zona Rosa

 

andino.jpg
Shopping Andino (foto do site oficial)

A porção norte da capital reúne o que há de melhor em gastronomia e comércio. Aqui está a área nobre e sofisticada denominada Zona Rosa, dentro da qual ficam as Zonas T (calçadão exclusivo para pedestres) e G (ruas de restaurantes). Se você quer conhecer os melhores shoppings e estilistas, badalar nos bares da moda e experimentar restaurantes estrelados, esse é o lugar.
A zona Rosa é delimitada pelas Ruas 79-85 e as Carreras 11-15. O local é agitado dia e noite e ferve nos finais de semana. É frequentado por um público mais classe média alta. Nós visitamos, na região, o centro comercial Andino, um shopping sofisticado e bem completo, com um mix de lojas que vão desde griffes caras como Versace, Dolce e Gabbana e Ermenegildo Zegna até lojas de marcas mais amigáveis, como Levis e Adidas. Os preços são mais convidativos do que no Brasil. Também há muitas opções de restaurantes e lanchonetes.
Nas ruas próximas do shoppping, encontramos lojas de várias marcas econômicas de roupas que são comuns na Europa, mas ainda não tem filiais no Brasil, como Stradivarius, Bershka e Pull and bear.

Para o almoço, escolhemos o restaurante italiano Luna, que fica bem próximo ao centro Andino. Depois do almoço aproveitamos para passear a pé por essa área frenética de Bogotá, por onde circulam muitas pessoas que trabalham pelas redondezas, turistas e moradores.

ANOTE A DICA

O Andino não é o maior shopping da capital, mas é muito charmoso e bem frequentado. Na Zona Rosa, há também outros centros comercias que não visitamos, como o Atlantis e o El Retiro.
O maior shopping de Bogotá não fica na Zona Rosa. É o Centro Mayor, que tem  354 lojas, sendo o terceiro maior da América Latina, perdendo apenas para o Leste Aricanduva, em São Paulo, e para o Mall Florida, em Santiago.

Parque La 93

Próximo da Zona Rosa, fica o Parque La 93, outra área que concentra hotéis, restaurantes e bares. O nome oficial do lugar é Chapinero, setor Chicó, mas toada a área delimitada pelas Carreras 11 e 15 entre as Calles 92 e 94 é conhecida como Parque de La 93, por conta do parque com esse nome que fica no local. Ao redor do pequeno parque, há muitos restaurantes, cafés, farmácias e mercados. O número de bares é bem menor se comparado à Zona Rosa. O Parque rende um bom passeio de dia e os establecimentos em seu entorno são um atrativo para a frequência à noite. Essa também é uma zona de alto padrão, em Bogotá.

Baladas

Viajamos em família e não somos de balada, mas nas nossas pesquisas, descobrimos que há bares bem avaliados pelos visitantes na Zona Rosa. Se você curte uma noite mais agitada, Bogotá tem muito a oferecer, entre os bares catalogados em nossa pesquisa estão: Bogotá Beer Company – cervejaria artesanal, London Calling – tem estilo de um autêntico pub inglês. La Villa e Salomé Pagana – para dançar.

Compras

 

Além do artesanato, Bogotá vende marcas famosas com bons preços

Bogotá é um bom destino para compras. Claro que não dá para comparar com os Estados Unidos, mas a cidade possui uma variedade de outlets localizados em um setor popular da Avenida Las Américas (na verdade são ruas com lojas de ponta de estoque de algumas marcas conhecidas). Visitamos os Outlets das Américas, onde encontramos roupas com bons preços das marcas Spirit, Levis e calçados da Adidas e Nike. Há lojas vendendo outras grifes como Tommy Hilfiger e Lacoste, mas nessas o preço não difere muito do Brasil.

É bom frisar que a região dos outlets é grande, a céu aberto e oferece pouco conforto para as compras. Rodamos apenas por uma parte das ruas. Como os demais programas que fizemos em Bogotá, fomos e voltamos de táxi. Os Outlets das Américas ficam entre a Avenida Américas e a Calle 13, desde a Avenida 50 até a Carrera 68. Nas proximidades também fica o Outlet da Adidas.

Na Zona Rosa, grifes como Diesel, Nike e Swatch têm preços menores se comparados aos do Brasil. Na rede La Riviera, é possível encontrar perfumes e cosméticos que não são vendidos no Brasil

Gastronomia

cusco.png
Restaurante Cuzco em Bogotá, foto do site oficial

Em Bogotá, como nas demais cidades visitadas, há arepas (tortilhas feitas de farinha de milho) e patacones (banana-da-terra frita) por toda a parte. A comidinha de rua que mais gostei foram as deliciosas obleas: grandes círculos de wafer bem fininho, recheados de geleia ou arequipe (doce de leite). Mas além da culinária típica colombiana, a gastronomia local atende aos comensais mais exigentes.

endedora-oblea
Vendedora de obleas

Costumo dizer que não sou uma viajante gourmet. Tenho interesse em experimentar a culinária dos locais que visito, mas geralmente fico tão envolvida com os passeios, que opto por lanches rápidos para não perder tempo, exceto quando a ida a um restaurante foi previamente agendada.

Em Bogotá, diante de opções tão variadas, destacamos os seguintes lugares:
Luna – Restauaranre que fica na Zona Rosa e é especializado em cozinha do Norte da Itália. Possui forno a lenha e serve de entrada um delicioso e enorme pão. Seu menu foi elaborado por Ricardo Michi. Comida exceente, preço justo, mas o serviço é lento.

Cuzco – Especializado em cozinha peruana, esse restaurante fica no Parque La 93 e nos chamou a atenção por sua decoração bem elaborada, combinando luzes e madeiras num ambiente elegante. A comida é saborosa e os preços corretos. Muito agradável para o jantar.

Crepes e waffles – Há várias lojas dessa rede em Bogotá. Os crepes e sorvetes são muito bons. A limonada com coco é deliciosa. Bom custo beneficio.

ANOTE A DICA
O clima em Bogotá é quase sempre frio e chuvoso. Leve roupa apropriada e agasalho.

Hospedagem

As duas principais áreas hoteleiras de Bogotá são a região do centro histórico, no bairro da Candelária, ou a parte norte da cidade, área mais nova e sofisticada, chamada de Zona Rosa. Nós optamos por ficar na parte moderna, no Parque La 93, vizinho à Zona Rosa. É uma região muito frequentada por turistas e tem ótima localização, pois permite fácil acesso para a Candelária e está a 5 minutos de táxi da Zona Rosa. Nossa hospedagem foi no Madisson in Hoteis e Luxury Suites, que fica a cerca de cinco minutos a pé do Parque La 93. A rua onde fica o hotel não é muito movimentada à noite, mas há segurança no local e fomos caminhando para o Parque sem qualquer problema.
O hotel oferece quartos amplos e confortáveis. Dormimos num triplo dividido em dois ambientes, com dois banheiros e janelas com vidros anti- ruído. O wi-fi gratuito funciona a contento. O café da manhã é bom e variado. Possui um restaurante agradável, onde jantamos uma noite.

Bogota-hotel
Boa localização e acomodações confortáveis

Taxistas fazem ponto no hotel, o que traz ainda mais conforto e segurança para os hóspedes.
O staff é super atencioso e prestativo. Ao comentarmos a perda de um celular, uma das funcionárias do hotel se encarregou de procurar o aparelho, ligando para o restaurante onde tínhamos jantado na noite anterior e o celular foi encontrado.

4

Juan Valdez, a Starbucks colombiana

Sou viciada em café, de preferência café simples mesmo, coado em filtro ou em cafeteira do tipo italiana, embora não despreze um expresso ou outro tipo especial. Nas viagens, para não ficar sem minha bebida predileta, às vezes, recorro ao Starbukcs, que existe em tudo quanto é lugar. Sim, o café dessa rede não é dos melhores, mas sendo café para mim já está bom.

bogots-juan-valdez
Rosas Arras, nossa colaboradora, aprova o café do Juan Valdez

Pois não é que na Colômbia, país que se orgulha de produzir um dos cafés de melhor qualidade no mundo, há uma rede de cafeterias, ao estilo do Starbucks, só que com sabor muito superior. É o Juan Valdez Café. Existem muitas unidades nas cidades pelas quais passei (Cartagena, Medellin e Bogotá), todas com o mesmo padrão de qualidade nos cafés e lanches. Pode-se comprar variedades do café colombiano para presentes, embora nos supermercados os preços sejam mais baixos. As unidades têm excelente ambiente, com wifi grátis e ar-condicionado, o que permite degustar cafés com prazer até mesmo na quentíssima Cartagena. Virei fã!

4

Quer mais dicas de Bogotá? Confira esse post de Luisa Galiza, do blog Leve na Viagem! Luisa fez um roteiro super completo de três dias na cidade, incluindo visita à famosa Feira de Usaquén, experimentou as cervejas artesanais da Bogota Beer Company e  deu uma agitada noturna no Irish Pub! Bogotá é uma cidade que oferece muitas opções ao visitante!

4

Se tiver dúvidas ou precisar de mais informações, é só falar que teremos o maior prazer em responder!

Já foi em Bogotá? Compartilhe conosco as suas impressões sobre a cidade!

4

Fotos de Suzy Freitas e  Rosa Arras

Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas a compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados.

14 comentários em “Bogotá, a frenética

Adicione o seu

  1. Nossa Suzi, que matéria completa!!! Já ouvimos falar muito de Bogotá, mas nunca tivemos curiosidade nos detalhes. Sua matéria nos levou, em poucos minutos, a uma viagem nessa cidade e nos deixou com vontade de conhecer um pouco mais. Parabéns! Beijos

    Curtir

  2. Suzsi, quanta informação boa! Eu também adorei Bogotá e o ponto alto da viagem pra mim foi o Museu do Botero e a cerveja Bogotá Beer rsrs. Gostei das dicas gastronõmicas, voltaria fácil só pra visitar o que indicou!

    Curtir

  3. Adorei o post, super completo e com certeza vou colocar esse destino no caderninho. Já ouvi falar do Juan Valdez Café e tenho muito vontade de conhecer pq sou viciada em café.

    Curtir

  4. Quando fomos conhecer a Colombia apenas fizemos uma conexão para Cartagena mas vi que tem tantas coisas bacanas para se ver que vale a pena ficar uns dois a tres dias na cidade. Obrigada por compartilhar!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Ainda não conheço Bogotá, acredito que, assim como você, me sentiria um pouco mal com a altitude rsrs. Gostei das dicas, achei a parte histórica uma gracinha, já salvei o post para ler novamente quando for conhecer a Colômbia. Abraços

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: