São Paulo: dicas de cultura, compras e gastronomia

 

Mercado_municipal-1-9
Vitrais e claraboias iluminam o interior do belo prédio do Mercado Municipal

São Paulo é um dos meus destinos prediletos no Brasil. Há sempre algo novo para ver ou fazer. E mais: repetir antigos programas tipicamente paulistanos também é uma delícia. Não tenho dúvidas de que São Paulo é a cidade brasileira com maior número de opções nas áreas de cultura, compras e gastronomia. Nossa Nova York tupiniquim!. Sempre visito a capital paulista para rever familiares e, claro, aproveito para turistar.
Na minha última ida à cidade, passei dias agradáveis fazendo passeios culturais gratuitos ou de baixo custo, apreciando a arquitetura de ícones do centrão, como a Catedral da Sé e a Estação da Luz, e desbravando pontos gastronômicos que ainda não conhecia, como o Eataly e a Confeitaria Carlo’s Bakery. Também fui às compras no Bom Retiro, onde almocei num restaurante grego maravilhoso!

Centros culturais gratuitos na Paulista

A antiga avenida, que foi reduto de moradia dos barões do café nos anos 20, e hoje é o coração financeiro do País, também tem seu charme cultural. O MASP é o museu mais famoso da cidade e um cartão postal da Paulista. Visitá-lo é obrigatório para quem vai à cidade pela primeira vez ou sempre que há mostras temporárias interessantes.
Mas a Avenida também sedia diversos outros centros culturais, muitos com entrada gratuita, e que merecem ser vistos. Os três que visitei numa tarde ficam concentrados no início da Paulista, há poucos metros de distância um dos outros.

Japan House

Japan House - fachada

Japan House tem objetivo de divulgar a cultura japonesa

É um espaço multimídia moderno e de inspiração nipônica. Foi criado pelo governo japonês para difundir a cultura do país no mundo. São Paulo – juntamente com Londres e Los Angeles – foram as cidades escolhidas para a instalação das “casas”.
Quando visitei, estava em cartaz a exposição “SOU FUJIMOTO: FUTUROS DO FUTURO”, que exibia maquetes com os mais representativos trabalhos do arquiteto japonês, além de obras em andamento e projetos que revelam suas progressivas tentativas de erros e acertos na arquitetura.
A Japan House tem design limpo, quase minimalista, e apresenta shows, workshops, exposições de vídeo, experiências gastronômicas e seminários temáticos.
Um cartaz informando sobre a futura venda de produtos seguindo a filosofia japonesa Muji me chamou a atenção. Muji significa produto sem marca, com qualidade, uma ideia que se contrapõe à cultura do consumo, apelando para a compra simples e racional. As 700 lojas Muji espalhadas pelo mundo vendem de peças de vestuário à móveis. A proposta de unir a qualidade dos materiais, sem vinculação à uma marca ou griffe, certamente, reduz o preço do produto. Espero que a venda se torne realidade e a Japan House passe a vender as mercadorias Muji, com qualidade e bom preço.
Gostei bastante do lugar e de suas possibilidades de apresentar conteúdo interativo. Há um café em funcionamento e um pequeno espaço dedicado à venda de artesanato tradicional e produtos importados diretamente do Japão.
A entrada é gratuita. Para ver horários de funcionamento, programação e outras informações clique no site oficial.

Centro Cultural Itaú

Itau cultural-exposição
Exposições temporários do Itaú Cultural propõem interatividade para adultos e crianças

O forte do Centro é o acervo voltado à história do Brasil. Coleções de moedas, documentos, mapas, gravuras, pinturas, manuscritos de literatura e outros objetos narram a história do Brasil de maneira interessante para adultos e crianças.
Além do acervo permanente, as exposições temporárias também resgatam nomes de personalidades importantes do passado nacional. Quando estive lá, havia uma exposição sobre a psiquiatra Nise da Silveira, que inovou usando a arte no tratamento de doentes mentais. Dedicada aos pequenos, tinha uma mostra interativa muito interessante sobre índios brasileiros.

O Centro Itaú conta ainda com salas de teatro, cinema, espetáculos musicais e projetos artísticos. Todos os eventos são gratuitos.
Confira horário de funcionamento, programação e outras informações no site oficial.

Casa das Rosas

 

Casa das Rosas - fachada 3O acervo da Casa é concentrado na área literária, mas seu maior trunfo é a própria construção onde está instalada, um belo casarão em estilo clássico francês, do ano de 1935, verdadeiro oásis entre os arranha-céus da Paulista. A mansão foi residência da família Ramos de Azevedo até meados dos anos 1980. Com a transformação da Avenida Paulista no maior corredor financeiro do País, a casa foi ameaçada de demolição, mas terminou sendo preservada, com a liberação de parte do terreno para a construção de um moderno edifício comercial, enquanto o casarão foi restaurado e transformado em centro cultural pelo Governo de São Paulo, no ano de 1991.

Casa das Rosas - jardim 1
Jardim é um convite para passeios tranquilos em meio à agitação da Paulista

Há um café funcionando no local, atrás da casa. O belo jardim é um convite à contemplação! Quem disse que as rosas não falam? Passa lá para ver a poesia que emana de suas pétalas!
Confira horários de funcionamento e outras informações no site oficial.

Onde comer

Após terminar seu tour cultural, um bom endereço para uma parada e um gostoso café é a Padaria Bella Paulista, que além de café, pães e doces, também oferece opções de refeições leves.
Se preferir experimentar um docinho diferente, dê um pulo até o n. 2182, da rua R. Bela Cintra, nos Jardins, e se delicie com os cannoli da Carlo’s Bakery, a primeira loja do confeiteiro-celebridade Buddy Valastro, aberta fora dos Estados Unidos.

Sabor americano nos doces da Carlo’s Bakery

Eu, particularmente, prefiro os docinhos à moda brasileira como os tradicionais ou renovados brigadeiros, mas a Carlos Bakery está sempre com fila de espera, o que indica que o sabor de seu lobster tail – o doce mais famoso da casa – agrada a muitos. Experimente para tirar as próprias conclusões.

 

Beco do Batman – reduto de street art

 

Beco-do-Batman1
O Beco do Batman fica numa área residencial na Vila Madelena

Há tempos o grafite se transformou em arte e ter algumas de suas ruas cobertas pelas tintas de artistas passou a ser motivo de orgulho para muitas cidades. Ainda não conhecia o Beco do Batman, na Vila Madalena, na Zona Sul de São Paulo, e adorei percorrer seu labirinto de ruas cobertas por pinturas coloridas, super criativas, retratando os mais diversos temas. O lugar é tranquilo e tem uma pequena praça – na esquina da Cardeal Arcoverde com a Henrique Schaumman – com árvores e banquinhos para um descanso na sombra depois de encher os olhos.

Beco-do-Batman-artista
Artista produzindo novo painel

No dia de minha visita, pude ver artistas pintando novas figuras e conferir painéis de renomados, como Kobra, ao lado de pinturas assinadas por grafiteiros quase anônimos. Aliás, o consagrado Eduardo Kobra mantém seu ateliê nas imediações.
Dizem que o espaço de street art nasceu devido ao desenho de um “Batman” grafitado por um autor desconhecido numa das paredes da rua Gonçalo Afonso, nos idos dos anos 80. Daí o nome “Beco do Batman”. De lá pra cá, as paredes dessa e das ruas adjacentes, como a Medeiros de Albuquerque, receberam dezenas de grafites, transformando a pacata vila residencial num atrativo para amantes de arte, fotografia e, claro, muitos turistas. Além das ruas citadas, há belos trabalhos em outras ruas próximas. Portanto, faça uma caminhada com calma! E se além de apreciar os painéis, você gosta de fotografar, prepare a câmera ou o celular: os painéis são belíssimos e rendem cliques de diversos ângulos. Veja nas fotos abaixo algumas de minhas experimentações no “Bat Beco”. Lugar delicioso para ver, passear e fotografar muito. Não deixe de ir!
R. Gonçalo Afonso, Vila Madalena, São Paulo – SP
Horário: Aberto 24h. Grátis.

Beco-do-Batman4

Beco-do-Batman14

Beco-do-Batman-11
Os painéis coloridos inspiram ótimas fotos

Arquitetura e Gastronomia no Centro de São Paulo

Catedral da Sé

catedral-da-sé-fachada
A grandiosidade da Catedral retrata a riqueza de São Paulo

Você sabia que a famosa catedral, erguida na Praça da Sé, no Centro de São Paulo, é dedicada à Nossa Senhora da Assunção e a São Paulo? O templo, em estilo gótico, tem 111 m de comprimento, 46 m de largura e 65 m de altura (exceto as torres). O projeto do professor da Escola Politécnica, Maximilian Hehl, tinha por objetivo retratar a riqueza de São Paulo na grandiosa catedral, que teve sua construção iniciada em 1912, mas só foi inaugurada em 1954.
Ao entrar na Igreja, você verá, logo acima da porta central, três elementos responsáveis pelo crescimento econômico do país: cacau, trigo e uva. Espalhados pelo interior e exterior da Catedral encontram-se retratados animais de nossa fauna. Elementos da flora brasileira estão entalhados em todos os capitéis, junto a figuras de evangelizadores, como os profetas e apóstolos. Além do altar principal, há um, do lado esquerdo, dedicado à Sant’Ana e, no lado oposto, o altar de São Paulo, patrono da Arquidiocese. O brilho dos vitrais amenizam a pouca luminosidade interna.

Altares de Sant’Ana e São Paulo têm belos mosaicos

Um dos destaque da igreja é seu órgão, confeccionado na Itália e considerado o maior da América do Sul, com cinco teclados manuais e cerca de 12 mil tubos com entalhes a mão, seguindo o estilo gótico.
Assisti uma missa na Catedral, acompanhada pelo som de seu potente órgão. Achei o ambiente bonito, porém austero.
Para saber o horário de abertura da Igreja e da celebração de missas, veja o site oficial.

Mercado Municipal

Mercado_municipal-5
O prédio do Mercado Municipal foi construído em 1933

Adoro ir ao Mercado Municipal experimentar as frutas exóticas – caríssimas – que são vendidas por lá! Sempre compro alguma novidade, mas aproveito para fazer a degustação de várias frutas que são oferecidas pelos vendedores das barracas que ficam no térreo do Edifício.

 

Frutas exóticas atraem compradores

Aproveito também para dar uma conferida nos sucos, temperos, queijos e azeitonas importadas. Mas o mercadão oferece ainda mais: vinhos e outras bebidas, carnes, peixes, cereais e legumes que fazem a alegria dos apaixonados por culinária.

Sanduíche de mortadela e pastel: clássicos do Mercadão

Se bater a fome, é hora de ir ao primeiro andar, onde ficam os restaurantes, se empanturrar com o prato típico mais consumido no local – o enorme sanduíche de mortadela. São vários os estabelecimentos que vendem a iguaria. Na minha última visita, provei o do Hocca Bar e gostei. Se preferir algo mais leve, peça o pastel de frango, mas lembre-se: tudo é produzido em tamanho gigantesco e um pastel vale por um almoço completo.

Mercado_municipal-4
Belos vitrais formam 32 painéis no interior do Mercado

Aproveite para apreciar a bela arquitetura do edifício onde está instalado o mercado. A construção é de 1933 e foi projetada por Ramos de Azevedo, responsável também por outros singulares edifícios paulistanos como Teatro Municipal, Palácio das Indústrias, Pinacoteca, os Correios, entre outros. O mercado tem colunas em estilos grego, jônico e dórico. O teto é bem interessante, coberto com telhas de vidros e claraboias, que permitem uma iluminação natural. Os belos vitrais, do artista russo Conrado Sorgenicht Filho, formam 32 painéis e, na minha opinião, são a parte mais bonita do interior do Mercado Municipal.

Compras e arte no Bom Retiro

Estação-da-luz-3
Estação da Luz: arquitetura singular chama atenção

Esse antigo bairro da capital paulista é famoso por abrigar uma das mais conhecidas ruas especializadas em lojas de confecção do Pais: a José Paulino. Vá ao bairro de metrô, desça na Estação da Luz, assim você já presenteia seus olhos com a arquitetura da mais bela estação de trens da capital paulista.

Interior e Fachada da Estação da Luz

Para um dia de programação, dá para fazer compras na Zepa, almoçar num dos restaurantes gregos mais tradicionais de São Paulo e, ainda, visitar a Pinacoteca.

Compras na José Paulino

Com mais de 400 lojas, a maior parte de confecção feminina, a Rua José Paulino, no bairro do Bom Retiro, centro de São Paulo, é uma das preferidas dos lojistas de todo o Brasil, mas muitos estabelecimentos também atendem a consumidores varejistas, que disputam peça a peça as suas roupas de boa qualidade e baixo custo. Chegue cedo entre 8h e 9h, quando as lojas estão abrindo e o movimento é menor, para comprar com mais tranquilidade.
Descendo na Estação da Luz, você pode caminhar por toda a extensão da Zepa e ainda garimpar nas lojas que ficam nas ruas transversais. Tem algumas lojas que gosto muito: Seiki, P&A (roupas para trabalhar), Limilitgh e Malagueta (roupas descontraídas). Mas  as opções são tantas, que é difícil entrar em apenas uma delas!
Programaço para quem quer renovar o guarda-roupa, gastando muito a sola do sapato, mas preservando o bolso.

Almoço grego

Sentiu fome depois das compras? Pois saiba que um dos mais tradicionais restaurantes de comida grega da capital paulista fica pertinho do final da Rua José Paulino. O Acrópoles, localizado na Rua da Graça, 364, funciona em ambiente simples e informal: o próprio cliente vai até a cozinha escolher o prato.
O restaurante é sucesso desde sua inauguração, em 1959, e oferece pratos típicos, como ensopado de polvo, lula recheada, carneiro assado, vitela e torta de berinjela com carne moída. A comida é farta e saborosa, o que faz valer o preço mesmo diante das instalações modestas.

Anote: Acrópoles
Rua da Graça, Rua da Graça, 364
Bairro: Bom Retiro

Pinacoteca

Pinacoteca-fachada
Prédio da Pinacoteca já sediou Liceu de Artes e Ofícios

Deslumbre-se com o belo edifício e o maravilhoso acervo da Pinacoteca de São Paulo. Funciona no antigo prédio do Liceu de Artes e Ofícios, que foi projetado no final do século XIX pelo famoso escritório do arquiteto Ramos de Azevedo, um dos grandes nomes do urbanismo paulista.
No térreo, você pode ver os painéis que explicam como foi a construção do edifício e a montagem do acervo que começou com apenas 26 quadros e hoje conta com mais de 9.000 obras de arte.

Acervo tem mais de 9.000 peças

O grande destaque da coleção são as telas de artistas nacionais, especialmente dos séculos XIX e XX, entre eles: Benedito Calixto, Pedro Alexandrino, Victor Meirelles, Eliseu Visconti, José Ferraz de Almeida Junior, Portinari e Anita Malfatti.
O Museu tem, ainda, espaços interativos, um acervo de esculturas de artistas brasileiros e telas de pintores estrangeiros que retrataram o Brasil. No último andar há uma exposição com legendas em braile, especial para deficientes visuais. A Estação Pinacoteca é um prédio anexo, onde acontecem exposições temporárias.

Pinacoteca-Jardim
Ao lado da Pinacoteca fica o Parque da Luz

Depois de apreciar o acervo, não deixe de tomar um café no restaurante com vista para o Parque da Luz.
Para conferir horários, exposições e outras informações visite o site oficial.

4

ANOTE A DICA
Circular pelo centro de São Paulo, como em outras grandes cidades brasileiras, exige cautela dos visitantes. Por isso, não dê vacilo com celular ou câmera fotográfica. Ande com a carteira em local protegido e fique atento aos seus pertences.

4

Culinária italiana em São Paulo

Eatly

Você sabia que São paulo tem o maior número de italianos fora da Itália? Foi esse um dos motivos para que a rede Eatly escolhesse a capital paulista para a abertura de seu primeiro centro na América Latina.
O nome Eataly já diz tudo: a junção das palavras em inglês eat (comer) e Italy (Itália). O mega centro gastronômico instalado em três andares tem a proposta de reunir a maior variedade de alimentos italianos de qualidade no mesmo lugar. É voltado especialmente para quem gosta da culinária italiana. Há até uma escola para isso. A rede foi criada em Turim, na Itália, em 2007, e o centro de São Paulo, funciona desde 2015.
No Eatly você encontra bebidas não alcoólicas, vinhos, carnes frescas, carnes curadas, queijos, massas, doces, utensílios de cozinha e o que mais imaginar para produzir comida italiana de qualidade.
Mas se sua ideia não é cozinhar, pode escolher entre os 17 restaurantes instalados no local para se deleitar com a gastronomia italiana. Há opções de massas, frutos do mar, carnes, pasticeria, café e sorveteria. Dá para fazer um turismo gastronômico à italiana sem sair do Brasil.
o Eataly fica na Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489, entre Faria Lima e Marginal Pinheiros, a duas quadras do shopping JK Iguatemi.
Veja horário de funcionamento e mais informações no site oficial.

4

Você também costuma turistar em São Paulo? Conta pra gente quais são seus programas favoritos na capital paulista!

 4

Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados.

6 comentários em “São Paulo: dicas de cultura, compras e gastronomia

Adicione o seu

  1. Gostei muito das dicas. Visitei esses locais. São Paulo para mim sempre foi sinônimo de lazer,cultura,gastronomia, diversão, de uma forma geral…

  2. Amiga, um sucesso essa matéria!!! A gente ama todos esses lugares!! Batemos cartão na Zepa e no Mercadão….apaixonadas por aqueles pastéis!!!! Parabéns por compartilhar um pouquinho das coisas que se faz aqui em Sampa! Beijos

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: