Califórnia no inverno: dicas de viagem

Por do sol na baía de São Francisco Califórnia

Às vezes uma decepção pode se transformar numa boa surpresa. Planejei fazer uma viagem com a família percorrendo a panorâmica US Highway 1, rodovia que acompanha a costa do Pacífico, de São Francisco à Los Angeles, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos. De lá, seguiríamos para Las Vegas, no estado vizinho de Nevada, onde passaríamos o natal e o réveillon. Meu marido e meu filho mais velho não puderam ir, pois não conseguiram férias no período. A viagem em família ficou restrita a apenas oito dias em Vegas! Como eu e a minha caçula já estávamos de férias, resolvi encarar a Califórnia no inverno sozinha com ela.

Mas antes de relatar como planejei a viagem, quero te dizer, logo, que vale muito a pena visitar a região nessa época do ano. Não risque a Califórnia do seu roteiro nos meses de dezembro a fevereiro! Apesar de ser inverno no hemisfério Norte, a estação na costa Oeste dos EUA é muito mais branda do que no lado leste, portanto, dá para aproveitar muito a viagem. Pela cor do céu nas fotos deste post, você pode ver como os dias são bonitos e ensolarados em pleno inverno. Sem contar que fomos no período do Natal, quando o clima dessa que a maior festa de fim de ano dos americanos, toma conta das ruas e das pessoas, fazendo a viagem ainda mais especial.

Planejamento é preciso

Quem já leu outros posts aqui do blog, sabe que eu, geralmente, viajo com a família ou com meu marido. Seria a primeira vez que encararia uma viagem para o exterior só com minha filhota de 16 anos. E havia alguns problemas a contornar: meu inglês é péssimo, eu detesto dirigir e prefiro destinos com clima quente. Não preciso dizer que falar inglês e alugar carro são itens indispensáveis para visitar a maior parte das cidades americanas.

Além disso, eu tinha que planejar cuidadosamente locais de hospedagem, passeios, formas de deslocamento, enfim, toda a viagem merecia atenção redobrada para garantir a nossa segurança, pois estaríamos sozinhas pela primeira vez numa viagem internacional.

dia de sol praia Los Angeles inverno
Praia em Los Angeles: apesar do sol, a água do mar é gelada durante o ano todo

A preferência por destinos de verão deve ser deixada de lado se você for à Califórnia. Esqueça aquela visão idílica de um banho de mar em Malibu. Os ventos e o frio tornam a água do mar gelada. Mesmo no verão as praias californianas espantam os banhistas, pois estão na beira do Oceano Pacífico e recebem fortes correntes de vento. O que há muito são surfistas e esportistas que enfrentam o frio com suas roupas de neoprene. Eu sou nordestina e amo o mar quentinho do Oceano Atlântico. Portanto, independentemente da estação, não seria minha praia.

Neste post, destacamos os seguintes temas:

Você pode clicar em cada um deles para ir direto ao texto.

Califórnia no Inverno

Cidades visitadas

Para planejar a nossa incursão na Califórnia no inverno, segui as estratégias que vou listar abaixo. Também vou indicar o que não saiu tão bem quanto eu esperava:

Prédios no centro de Los Angeles California
Los Angeles, a meca mundial do cinema, é a maior cidade da Califórnia

Escolhi duas cidades (Los Angeles e São Francisco) dedicando três dias para cada uma. Evitei saídas para cidades do interior pois não alugaria carro. Não estendi a estadia pelo custo alto das hospedagens e porque achei que o tempo seria suficiente para uma primeira visita! Também não inclui os parques temáticos de Los Angeles (Disneylândia e Universal), porque já tínhamos visitado duas vezes os de Orlando.

São Francisco cidade da Califórnia no inverno
Centro de São Francisco: a cidade tem alto índice de qualidade de vida
  • O que eu mudaria: em São Francisco, um dia de chuva, prejudicou nossa programação. Portanto, se for visitar a cidade no inverno, tenha um plano B para um possível dia molhado, veja museus ou outros programas em espaço fechado que não exijam compra prévia de ingressos e possam ser incluídos rapidamente no roteiro. Tenha em mente, ainda, que, embora seja uma cidade de porte médio, São Francisco é encantadora e merece no mínimo quatro dias inteiros de permanência.

Como voar com milhas na alta estação

Os trechos aéreos Brasil/Los Angeles e Las Vegas/Brasil foram adquiridos com milhas. Sou associada aos programas Smiles e Multiplus e transfiro as milhas quando há promoções, sempre pesquisando antes, quantos pontos as companhias de cada programa estão cobrando pelos trechos de minha próxima viagem. Começo a pesquisa no mínimo cerca de seis meses antes da data da viagem quando estão planejadas para alta estação, como era o caso desta que ocorreria nas duas últimas semanas de dezembro, incluindo natal e réveillon.

vista dos Andes parada viagem Califórnia
Sobrevoando os  Andes: para voar com milhas, fui ao Chile para chegar na Califórnia

Na época, a Smiles oferecia trechos de ida Salvador/Los Angeles a partir de 140 mil pontos por pessoa pela Delta Air Lines, em viagens com duração média de 39 horas, com conexões em São Paulo e Atlanta (EUA). A Multiplus não tinha disponibilidade para esse trecho.

Depois de fazer várias simulações, inclusive alterando o local de partida, consegui compor minha passagem da seguinte forma: voei de Salvador a Santiago do Chile pela Multiplus/Latam (12 mil pontos), onde passei um dia. Aproveitei para conhecer o Sky Costanera, que ainda não tinha sido construído na minha primeira ida a Santiago. O edifício é o mais alto da América do Sul, com 300 metros de altura e um mirante com linda vista da cidade. Do Chile, parti para a Cidade do México pela Smiles/Aeromexico, pagando 30 mil pontos. Do México, voei em classe executiva até Los Angeles pela bagatela de 10 mil pontos também pela Smiles/Aeromexico.

Conclusão: em vez de pagar 140 mil por um trecho que duraria cerca de 40 horas, usei 52 mil pontos para uma viagem com a mesma duração, com a vantagem de ter um dia de passeio em Santiago e chegar em Los Angeles em alto estilo, na classe executiva. Gastei um bom tempo com pesquisas nos sites das companhias para conseguir fazer essa composição, mas valeu a pena!

Muita pesquisa e paciência

Aproveitei a parada em Santiago para conhecer o Sky Costanera

Na volta, consegui emitir por 52 mil pontos o trecho de Las Vegas a São Paulo (Smiles/Aeromexico), onde passei dois dias visitando familiares e paguei o trecho de volta São Paulo/Salvador com preço razoável, comprado com antecedência. Mas não se engane: para conseguir voar com milhas na alta estação é preciso muita antecedência, pesquisa, paciência e persistência!

Para os trechos internos (Los Angeles/São Francisco e São Francisco/Las Vegas) fiz as pesquisas no site skysannner.com.br e comprei as passagens pela companhia low cost americana Southwest Airlines. Gostei muito do serviço, que incluiu lanche e uma mala despachada no custo do bilhete. Os preços não foram tão “low” poque viajei na semana do Natal, quando há muita movimentação interna, mas foram mais baixos do que costumo pagar nas viagens na mesma época aqui no Brasil.

Hospedagem e passeios

Casa em cenário no estúdio da Warner Bross Los Angeles Califórnia
Passeio pelo estúdio da Warner Bross: planejamento e compra antecipada de ingressos

Pesquisei muito os lugares de hospedagem, lendo depoimentos de outros viajantes com família ou criança, além de visualizar no google maps as ruas dos hotéis pela ferramenta “street view”. Nas duas cidades, escolhi bairros centrais, próximos a algumas atrações turísticas, mas sempre nas zonas consideradas seguras por sites de viajantes e opiniões de outros hóspedes.

As reservas foram feitas no hoteis.com. Gosto das funcionalidades de outros buscadores, mas prefiro reservar os hotéis de viagens internacionais no hoteis.com, porque o site converte imediatamente o valor da moeda local para reais e possibilita o parcelamento em até 12 vezes. Faço a comparação do preço oferecido com outros sites e, geralmente, é compatível. Por isso acho vantajoso o hoteis.com: além de amortizar o custo da viagem em 12 meses, evito o IOF e as possíveis variações prejudiciais do câmbio.

Em Los Angeles, nosso hotel ficava a três quadras de Hollywood

Chequei a distância dos lugares que visitaríamos, agrupando-os geograficamente em cada dia, certifiquei-me da segurança e da facilidade de conseguir transporte e os melhores horários para evitar engarrafamentos, que em Los Angeles podem ser quilométricos e duradouros. Comprei antecipado pela internet os ingressos para os passeios que fizemos na viagem para evitar filas ou atrações esgotadas.

Se sua viagem coincidir com a época do Natal, como a nossa, você encontrará as cidades decoradas para a festa e sempre há apresentações musicais e corais natalinos em espaços como shoppings.

Shopping em Los Angeles decorado para o Natal

 

Locomoção nas cidades

Carro é melhor opção em Los Angeles, mas é dispensável em São Francisco

Não aluguei carro, pois detesto dirigir, mas confesso que um automóvel fez falta em Los Angeles, pois a cidade é enorme e as atrações muito espalhadas. Optei por fazer alguns passeios próximos ao hotel a pé e para os demais usei Lyft (concorrente do Uber). Também fiz um passeio com uma empresa de turismo até a região de praias em Santa Mônica.

  • Vantagem: não me aborreci com o trânsito pesado e não perdi tempo procurando estacionamento.
  • Desvantagem: limitação para incluir lugares mais distantes no roteiro, por conta do custo do transporte.

Em São Francisco, a ideia inicial era usar o bom sistema de transporte público local, pois a cidade é uma das poucas nos EUA em que carro alugado é um fator que mais atrapalha do que ajuda o visitante. Chegando lá, acabei optando pelo ônibus turístico no sistema hop-on/hop-off.

Segurança

Na questão de segurança, atente-se que Los Angeles é a segunda maior cidade americana e, como toda metrópole, merece cuidado dos turistas. São Francisco, embora menor, possui uma grande quantidade de mendigos circulando pelo centro da cidade, portanto, é bom evitar hospedagem em algumas regiões (darei maiores detalhes no post específico sobre a cidade). No geral, me senti segura nas duas cidades, mesmo saindo à noite com uma adolescente, especialmente porque já havia pesquisado sobre a segurança dos locais que visitei.

Clima da Califórnia no inverno

Prédio no centro de Los Angeles Califórnia
Pegamos três de dias de sol e céu limpo em Los Angeles

O clima da Califórnia no inverno pode variar muito de um local para outro. No inverno de Los Angeles, a temperatura média é de 20C, a mínima pode chegar a 8oC, especialmente à noite, e a máxima a 29oC. Pegamos três dias de sol, temperatura agradável e um pouco mais fria à noite.

Plataforma da Golden Gate em São Francisco Califórnia
Dia de sol no inverno de São Francisco, porém o clima é mais frio que em Los Angeles

São Francisco é conhecida pelo clima instável, pela neblina, ventos fortes e frio constante. A temperatura varia entre 7°C e 13°C, mas o vento forte pode ampliar a sensação de frio.

No inverno, chove com mais frequência, porém tudo é muito incerto. Fomos recebidas em São Francisco com um lindo e ensolarado dia; na manhã seguinte, a chuva molhou nossa programação, mas, no dia da partida, o sol nos brindou de novo.

Tempo instável em São Francisco: chuva e neblina num dia, sol no outro

Quem mora na cidade, diz que a melhor época para conhecê-la é o outono, seguida da primavera, depois o inverno. O verão é a pior época, pois a neblina é constante e faz frio. Não é a toa que o escritor e humorista americano Mark Twain escreveu uma frase que ficou célebre: “O inverno mais frio que já passei na vida foi um verão de São Francisco”!

  • Fica a dica: se tiver que escolher entre verão e inverno, faça como a gente, vá no inverno!

Roupas para Califórnia no inverno

Roupas leves em Los Angeles, agasalhos para frio em São Francisco

Para lugares frios, normalmente levo camisetas e meias calças térmicas, camisas e suéter de lã, cachecol, luvas, gorro, meias grossas para os pés e sapatos fechados, por cima de tudo jogo um casaco impermeável. É aquela famosa estratégia da roupa cebola, a depender do frio ao longo do dia, tiro ou acrescento uma camada. A mala assim arrumada serviu bem aos três lugares visitados: em Los Angeles menos camadas; em São Francisco e Las Vegas mais camadas de roupa. Lembre-se sempre que os agasalhados devem ser apropriados para lugares frios. Não adianta levar aquele casaco usado para ir ao shopping aqui no Brasil, porque vento e temperatura no hemisfério Norte, mesmo na Costa Oeste, é bem mais intenso.

Inglês – What?

Mirante do Sky Costanera parada na parada da viagem Califórnia
Melhor companheira de viagem: intérprete e colaborada

Consigo ler razoavelmente em inglês, mas entender e falar não são meus fortes. Minha filha é fluente em inglês, mas sempre foi tímida para falar. Nessa viagem ela se revelou. Ao me ver em apuros, tomou a dianteira e mais que intérprete foi uma parceira incrível. Falava nas recepções dos hotéis, nos transportes, nas lojas, conversava com os motoristas do Lyft e puxou papo até com outros turistas que estavam no mesmo local que a gente! Foi uma companheira de viagem maravilhosa: madura, colaboradora, resolvida.

Enfim, essa viagem me mostrou que a mocinha que eu estava preocupada em proteger já era quase uma adulta e tinha muito a me ensinar. Ainda quero fazer a rota pela Highway 1 em família! Mas ver a autonomia, o equilíbrio e a confiança de minha filha de 16 anos no nosso primeiro voo solo para o exterior foi uma experiência que superou todas as minhas expectativas. E isso não tem preço!

barra-separação-texto

Este post faz parte da série sobre nossa viagem de 14 dias aos Estados Unidos visitando:

  • Los Angeles e São Francisco (Califórnia)
  • Las Vegas (Nevada)
  • Grande Canyon (Arizona)

Acompanhe os próximos posts para conhecer nossa experiência e se inspirar para sua viagem! Se tiver alguma dúvida ou quiser deixar sua opinião, é só escrever nos comentários. Teremos o mais prazer em trocar informações e ajudar você a montar seu roteiro.

barra-separação-texto

Esse texto não contém anúncios ou publicidade. A citação de estabelecimentos visa apenas compartilhar com o leitor a opinião pessoal da autora sobre os serviços experimentados.

4 comentários em “Califórnia no inverno: dicas de viagem

Adicione o seu

    1. Olá, Miguel! Sempre bom receber sua visita. Los Angeles fica ao sul da Califórnia e tem um clima mais quente. São Francisco é quase sempre fria e nublada. Tivemos sorte de pegar dois dias de sol. Amei São Francisco e vou publicar um post sobre a cidade. Um abraço.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress.com. Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: